Ovibeja arranca “cheia” para mostrar todo o Alentejo deste mundo

Ovibeja arranca “cheia” para mostrar todo o Alentejo deste mundo

[Fonte: Observador]

Os efeitos das alterações climáticas na agricultura é o tema da edição deste ano da feira agropecuária Ovibeja, que arranca esta quarta-feira, “cheia” e com “mais de mil expositores” para mostrar “todo o Alentejo deste mundo”.

Houve “bastante procura de expositores, mais do que no ano passado” e a 36.ª Ovibeja vai decorrer “cheia” até domingo, no Parque de Feiras e Exposições de Beja – Manuel Castro e Brito, segundo Rui Garrido, presidente da associação ACOS – Agricultores do Sul, a organizadora da feira.

De acordo com a ACOS, estão presentes “mais de mil expositores” de diversos setores de atividade e distribuídos por vários pavilhões instalados numa área de 10 hectares do parque.

Segundo Rui Garrido, na edição deste ano, a Ovibeja, que “é uma espécie de Ronaldo do Alentejo que toda a gente conhece no país e no estrangeiro”, tem o “mesmo esquema dos últimos anos”, assumindo como tema “as alterações climáticas e os seus efeitos na agricultura”.

O tema vai estar presente em seminários, colóquios, “workshops”, ações de sensibilização e na exposição interativa “Terra – Agricultura e Alterações Climáticas no Alentejo”.

A novidade deste ano é o espaço “ACOS+ Natureza e Equilíbrio”, com atividades pedagógicas para crianças e famílias, mas o certame volta a contar com os tradicionais pavilhões institucional, com empresas e instituições, da pecuária, com mais de 300 animais, das aves, para a 24.ª Mostra de Aves, multiusos e de comércio e serviços, o espaço agroalimentar e as zonas de bares e tasquinhas e da restauração.

À edição deste ano regressam o Campo da Feira, para demonstração e venda de máquinas e serviços agrícolas, o Pavilhão Terra Fértil, uma mostra de inovação na agricultura e nas agroindústrias, a Arena do Azeite, dedicada à promoção do Alentejo como “principal região produtora” de azeites em Portugal, e o Pavilhão do Cante, das Artes e dos Ofícios.

A realização de colóquios sobre vários assuntos do mundo agrícola é outra das valências da Ovibeja, que, como é hábito, deverá ser destino de uma “romaria” de políticos, entre governantes e líderes partidários.

Gastronomia, entrega dos prémios do 9.º Concurso Internacional de Azeites Virgem Extra – Prémio CA Ovibeja, uma corrida de touros, exposições, concursos, garraiadas e provas desportivas são outras das ofertas do programa.

Quanto ao cartaz de espetáculos que anima as “ovinoites”, os destaques são os concertos dos cantores António Zambujo, esta quarta-feira, Fernando Daniel, na quinta-feira, Matias Damásio, na sexta-feira, e Rui Veloso, no sábado.

O concerto de António Zambujo resulta de uma parceria entre a ACOS e a Câmara de Beja e está incluído no espetáculo comemorativo dos 45 anos do 25 de Abril na cidade, promovido pelo município e a decorrer no recinto da Ovibeja, que tem entradas livres a partir das 22:00.

Antes do concerto de António Zambujo, marcado para as 00:30, o espetáculo vai incluir uma atuação do grupo de flamenco Pringá, às 22:30, e fogo-de-artifício, às 00:00.

Comente este artigo

O artigo Ovibeja arranca “cheia” para mostrar todo o Alentejo deste mundo foi publicado originalmente em Observador.

Anterior Formação obrigatória para tratoristas
Próximo Oferta de emprego - Technical Grower Test Plot - São Teotónio

Artigos relacionados

Últimas

Portugal tem investimento abaixo da média europeia. Deve apostar na ferrovia e nos portos, diz Bruxelas

[Fonte: ECO]

A Comissão Europeia alerta que o nível de investimento em Portugal é “muito baixo” quando comparado com os padrões europeus, ficando “sistematicamente abaixo” dos próprios objetivos do Governo. Nas recomendações específicas para Portugal no âmbito do semestre europeu, […]

Nacional

Pedrógão: Teresa Morais critica Parlamento por ter abdicado de comissão de inquérito

[Fonte: Público]

Teresa Morais considera um “erro” o Parlamento ter prescindido de um inquérito sobre Pedrógão Grande

A deputada do PSD Teresa Morais criticou o Parlamento (e indirectamente o seu partido) por ter desenvolvido uma acção “manifestamente insuficiente” sobre a tragédia de Pedrógão Grande e a de outros incêndios florestais que se seguiram. […]

Últimas

Maior produtora portuguesa de cogumelos está falida, mas estrangeiros querem comprá-la

[Fonte: Expresso]

O grupo Sousacamp, com sede em Trás-os-Montes, está em processo de insolvência há mais de um ano. Era detentor de 90% do mercado português e acumulou dívidas à banca e ao Estado

Um consórcio de empresários estrangeiros ligados ao setor quer adquirir o maior produtor português de cogumelos, […]