Oferta de emprego – Coordenador de projetos – Agrónomo – Guiné-Bissau

Oferta de emprego – Coordenador de projetos – Agrónomo – Guiné-Bissau

A TESE é uma Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) criada em 2002, que utiliza o conceito de inovação social como “chapéu” da sua atuação em Portugal e nos países em desenvolvimento. Criamos valor efetivo, estando envolvidos desde a identificação de problemas até à criação e implementação de soluções inovadoras. Pretendemos investigar, criar, implementar e sensibilizar, construindo um ciclo de soluções socialmente inovadoras e sustentáveis como resposta às necessidades tradicionais e emergentes.

Nos sectores de intervenção Internacional a TESE promove:

  • Projetos de cooperação para o desenvolvimento – Com um forte enfoque no contexto local e no reforço mútuo de competências, com parceiros locais (Atores Não Estatais – ANE e Autoridades Locais – AL) formulamos e implementamos projetos que promovem o acesso a serviços de Água, Saneamento e Energia
  • Desenvolvimento de políticas públicas – Orientamos as nossas intervenções para a implementação, o reforço e a formulação de políticas públicas nos nossos setores de atuação
  • Produção de conhecimento – Acreditamos que a produção e disseminação de conhecimento são essenciais para apoiar o fortalecimento contínuo da nossa Acão, e daqueles com quem trabalhamos.
  • Serviços de consultoria para o desenvolvimento – Complementamos a nossa Acão através da prestação de serviços de consultoria, tendo por base os mesmos princípios: reforço mútuo de competências, desenvolvimento de políticas públicas e produção de conhecimento.

O Projeto

  • A TESE é a entidade executora do Projeto UE-AINDA (Ações Integradas em Nutrição e Desenvolvimento Agrícola): Programa de Reforço de Resiliência na Fileira de Arroz nos setores de Bafatá e Contuboel (Nó Arruz, Nó Labur). As entidades financiadoras são a União Europeia (UE) e o Camões – Instituto da Cooperação e Língua, I.P.
  • O projeto tem como principal objetivo contribuir para melhorar os rendimentos dos/as pequenos produtores/as por meio de várias intervenções na cadeia produtiva do arroz e, assim, contribuir para reduzir a insegurança alimentar crónica na Guiné-Bissau e desenvolver a resiliência das populações.
  • A fim de atingir os objetivos, pretende-se aumentar a produção de arroz através de técnicas de agricultura sustentável (sistemas de irrigação fotovoltaicos, obras de melhoria dos campos de arroz e formação em agricultura sustentável) e através de Produtos Financeiros para o Desenvolvimento Agrícola.

Tarefas Principais do (a) Coordenador (a) de Projeto:

Coordenação e execução do Programa de Reforço de Resiliência na Fileira de Arroz nos setores de Bafatá e Contuboel (Nô Arruz, Nô Labur):

  • Coordenar as atividades do programa, nomeadamente:
    • Instalação de sistemas de irrigação descentralizados, com recurso a energia solar fotovoltaica para aumentar a produção de arroz;
    • Criação de um modelo de gestão para os sistemas de irrigação através de grupos focais com os produtores;
    • Implementação de um programa de formação em técnicas de agricultura sustentável (gestão do solo, dos nutrientes, da água e dos fertilizantes, controlo de pragas, etc.)
    • Seguimento e conclusão do programa piloto de Produtos Financeiros para o Desenvolvimento Agrícola, em curso de implementação.
  • Gerir as parcerias e a equipa afeta ao programa e promover reuniões periódicas para avaliação, monitorização e planificação das atividades;
  • Apoiar os parceiros na elaboração/atualização de planos de atividades e realizar o seguimento dos mesmos;
  • Realizar o seguimento da execução orçamental, rever e validar os relatórios financeiros e os mapas de tesouraria do programa;
  • Cumprir e garantir o cumprimento de todas as obrigações inerentes aos contratos de subvenção das entidades financiadoras e, em particular, assegurar a execução dos planos de atividades e orçamentos contratualizados;
  • Garantir e reforçar a participação dos atores locais na tomada de decisões estratégicas (incluindo grupos-alvo/parceiros/beneficiários);
  • Promover a adequada visibilidade do programa, dos parceiros, associados e financiadores;
  • Assegurar o estabelecimento de boas relações e a comunicação regular sobre o desempenho e progresso do programa com as entidades financiadoras;
  • Apoiar parceiros na elaboração de relatórios narrativos e relatórios financeiros, segundo as regras das entidades financiadoras;
  • Manter uma perceção geral da situação de segurança a nível nacional e local, nas áreas de operação da TESE.

Gestão e desenvolvimento dos colaboradores

  • Contribuir de forma ativa para a construção de uma equipa forte, orientando o seu desenvolvimento, planeamento eficaz, e adotando ações imediatas para resolver problemas de desempenho;
  • Preparar termos de referência para novas contratações e assegurar o recrutamento de recursos humanos;
  • Assegurar que são desenvolvidas e aplicadas políticas, termos e condições de contratação do pessoal nacional, com base nas políticas e diretrizes da TESE e dos doadores, e as leis do País;
  • Avaliar e Monitorizar se as estratégias definidas, responsabilidades e os procedimentos internos estão a ser devidamente implementados pela equipa dos projetos;
  • Identificar necessidades de formação para os colaboradores da sua equipa.

Representação

  • Desenvolver contactos e networking junto de doadores, potenciais parceiros e grupos de interesse nacionais e internacionais;
  • Garantir que a TESE Guiné-Bissau e os seus interesses estão representados de forma profissional, com os parceiros, o Governo e os doadores;
  • Construir relações de trabalho eficazes com decisores relevantes a nível do Governo, organizações locais, doadores e organizações internacionais, a fim de acompanhar os desenvolvimentos relevantes no país.

Mobilização e gestão de financiamentos

  • Identificar novas oportunidades de financiamento alinhadas com os interesses estratégicos e operacionais da TESE, nomeadamente no setor da agricultura;
  • Informar a equipa sobre as oportunidades identificadas e conjuntamente decidir eventual participação no concurso;
  • Identificar e contribuir na formulação de propostas para candidaturas a projetos ou serviços
  • Garantir uma resposta atempada às oportunidades de financiamento, que toda a informação necessária é providenciada pela equipa no terreno e contribuir para a preparação dos documentos de concurso (manifestações de interesse, propostas técnicas e financeiras).

Qualificações/Requisitos Essenciais

  • Formação superior numa área relacionada com agronomia (tropical e/ou arroz);
  • Mínimo 5 anos de experiência de trabalho em setores relacionados com agricultura;
  • Experiência em cooperação para o desenvolvimento ou coordenação de projetos;
  • Experiência específica de participação em pelo menos 3 projetos ou estudos de cooperação ao desenvolvimento no setor da agricultura;
  • Conhecimento dos procedimentos e dos mecanismos de apoio externo da UE e conhecimento dos regulamentos, procedimentos e requisitos da Comissão Europeia no âmbito dos contratos de subvenção;
  • Competências de comunicação, análise crítica e escrita;
  • Capacidade de trabalhar em ambientes multiculturais e disciplinares, vontade e entusiasmo em trabalhar em condições por vezes desafiantes;
  • Conhecimentos de ferramentas informáticas profissionais básicas: sistemas operacionais e programas de uso geral.

Qualificações/Requisitos Preferenciais

  • Experiência de trabalho em países em desenvolvimento e/ou na África subsaariana;
  • Participação em projetos e estudos de engenharia hidráulica;
  • Conhecimento dos procedimentos e dos mecanismos de apoio de financiadores internacionais;
  • Experiência de trabalho na Guiné-Bissau e conhecimento do contexto do país.

Conhecimentos linguísticos

  • Nível avançado (min nível B2), escrito e falado, da língua portuguesa (obrigatório).
  • Nível básico (min nível A2), escrito e falado, de inglês e/ou francês.

O que pode esperar

  • Fazer parte de uma organização multicultural de referência nos seus sectores de atuação;
  • Contribuir para ultrapassar os exigentes e complexos desafios para o sector da agricultura;
  • Aprender e desenvolver-se profissionalmente dentro da TESE.

Processo de seleção

As candidaturas, incluindo Curriculum Vitae atualizado com pelo menos 2 referências e carta de motivação, deverão ser enviadas por correio eletrónico para o endereço [email protected], com a referência: TESE_CoordAgr_2019.

A carta de motivação deverá incluir referências explícitas às principais qualificações exigidas.

Apenas os candidatos selecionados para a segunda fase de recrutamento serão contactados.

Prazo para submissão de candidatura 10/11/2019
Local: Bafatá, Guiné-Bissau (com deslocações nos sítios de atuação)
Data de início: Dezembro de 2019
Duração: Contrato inicial de 12 meses (possibilidade de extensão)
Categoria profissional: Coordenador (a) de Projetos
Reporta a: Coordenadora de País e Diretora Executiva
Comente este artigo
Anterior Campanha digital europeia sobre consumo de hortofrutícolas atinge 1.000 seguidores no Twitter
Próximo Suíça emenda lei para proibir trituração de frangos vivos

Artigos relacionados

Nacional

Programa de Apoio ao Setor Agro-Alimentar “Empowering Women in Agrifood” – Participe!

O EIT Food está a desenvolver um programa Europeu para apoiar mulheres empreendedoras o EWA – Empowering Women in Agrifood, um novo programa dedicado a mulheres com talento e paixão pelo empreendedorismo no setor agroalimentar. […]

Últimas

Consórcio internacional procura soluções para aumentar o tempo de preservação de bactérias probióticas

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a desenvolver e a testar em laboratório, […]