Obrigatoriedade de inspecção dos equipamentos de aplicação de produtos fitofarmacêuticos

Obrigatoriedade de inspecção dos equipamentos de aplicação de produtos fitofarmacêuticos

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]

A Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) lança alerta aos utilizadores profissionais de produtos fitofarmacêuticos, no seu portal para o cumprimento das inspecções obrigatórias de pulverizadores.

Segundo o portal da DGAV, a obrigatoriedade de inspecção dos equipamentos de aplicação de produtos fitofarmacêuticos de uso profissional, em cumprimento do disposto no Decreto-Lei n.º 86/2010, de 15 de Julho, deve ser cumprido de acordo com os prazos estipulados. O não cumprimento desta obrigação constitui uma contraordenação punível com coima e, em função da gravidade, podem ser ainda aplicadas sanções acessórias.

Recorde-se que os pulverizadores em uso e, com mais de 5 anos da data da primeira aquisição deverão ter uma inspecção válida, atestada pelo certificado e selo emitido pelo próprio CIPP, reconhecido pela DGAV. Após a primeira inspecção ela será renovada a cada 5 anos.

Até 31 de Dezembro de 2019 os equipamentos de aplicação de produtos fitofarmacêuticos devem ser inspeccionados e aprovados de 5 em 5 anos. A partir de 1 de Janeiro de 2020, os equipamentos devem ser inspeccionados e aprovados de 3 em 3 anos.

Comente este artigo

O artigo Obrigatoriedade de inspecção dos equipamentos de aplicação de produtos fitofarmacêuticos foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Anterior Açores mantém inalterado valor das rendas de prédios rústicos no novo ano agrícola
Próximo Boletim meteorológico para a agricultura - abril 2019

Artigos relacionados

Últimas

Ascenza lança no Brasil produto que aumenta rendimento da manga

[Fonte: Vida Rural]

Um novo regulador de crescimento para a cultura da manga promete revolucionar o cenário de produção desta fruta no Vale do São Francisco, […]

Últimas

Defesa da Floresta Contra Incêndios: Oleiros faz acções de gestão de combustível

[Fonte: Agricultura e Mar]
O Município de Oleiros tem procedido a acções de gestão de combustível no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios e do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios. […]

Nacional

Investigador garante que Açores possuíram cerca de 40 unidades de transformação de chá

[Fonte: Açoriano Oriental]

O responsável pela obra “História do Chá em São Miguel (século XIX)”, que resulta de uma tese de doutoramento, […]