“O próximo ciclo político tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações”

“O próximo ciclo político tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações”

[Fonte: Vida Rural]

A três semanas das eleições europeias, os agricultores e as cooperativas agrícolas da União Europeia (UE), representados pelo COPA e pela COGECA, lançaram um manifesto que tem como objetivo incentivar a comunidade agrícola europeia a votar. De acordo com os agricultores europeus, “a agricultura é uma solução para muitos desafios sociais, políticos, ambientais e económicos”.

Pekka Pesonen, Secretário-geral do COPA-COGECA, e um dos signatários do manifesto intitulado WeFarm4EU, defendeu durante a sua apresentação pública que “o próximo ciclo político 2019/2024 tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações. Enfrentaremos debates difíceis sobre a renovação geracional, o baixo rendimento agrícola, as práticas agronómicas futuras, a volatilidade do mercado e os efeitos das alterações climáticas. Estamos conscientes dos desafios e dispostos a abordá-los e a enfrentar as mudanças que temos pela frente. Nos últimos 60 anos, a Política Agrícola Comum (PAC) tem sido o cimento que liga o projeto europeu e a agricultura. O nível de ambição que a futura Comissão e o novo Parlamento demonstrarão para com a agricultura europeia será um bom indicador, tanto da força do projeto europeu, como da unidade dos Estados-membros.”

O manifesto pretende, assim, demonstrar o papel desempenhado pelos agricultores e pelas cooperativas agrícolas, centrando-se em quatro temas principais: o futuro do setor (WeFarm4Future), a sua contribuição para a proteção do meio ambiente (WeFarm4Planet), o fomento do crescimento económico (WeFarm4Growth) e a manutenção do dinamismo territorial (WeFarm4Community).

“Proporcionar a cerca de quinhentos milhões de cidadãos alimentos sãos, acessíveis, sustentáveis e de qualidade será uma preocupação cada vez maior. Perante o elevado número de agricultores europeus que se reformarão nos próximos anos, o setor agrícola europeu, agora mais do que nunca, deve tornar-se mais atrativo para os novos agricultores. Para conseguir isso, os responsáveis políticos europeus devem centrar-se na melhoria dos rendimentos agrícolas, o que permitirá também aos agricultores cumprir o seu papel como líderes da absorção do carbono e promotores da bioeconomia na luta contra as alterações climáticas”, defendem os signatários.

Conheça o manifesto em www.wefarm4.eu.

Comente este artigo

O artigo “O próximo ciclo político tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações” foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior 93,1% dos hortofrutícolas analisados pela DGAV tinham resíduos de pesticidas abaixo dos limites máximos
Próximo “O maior desafio é garantir a sustentabilidade ambiental do nosso planeta”, destaca Sara Cerdas

Artigos relacionados

Últimas

Portugal tem 80% da água de que precisa para o verão, garante ministro do Ambiente 

[Fonte: O Jornal Económico]

O ministro do Ambiente afirmou esta terça-feira que o país tem armazenada “80 por cento” da água que precisa para o verão, que deverá “passar-se normalmente” com “fenómenos pontuais de ausência de capacidade das redes municipais”.
João Pedro Matos Fernandes falava aos deputados da comissão parlamentar de Ambiente, […]

Últimas

Desigualdad en la cadena alimentaria: La proporción que obtienen los agricultores de los precios finales ha descendido 10 puntos

[Fonte: Agro informacion]
Los agricultores no obtienen más que el 8% del precio de una barra de pan, por lo que el Presidente del Copa, Martin Merrild, ha insistido en la audiencia ante el Parlamento Europeo en que “los hechos dan fe de que los agricultores europeos no están recibiendo una proporción justa del precio que paga el consumidor. […]

Notícias florestas

Nenhum município foi penalizado por falta de limpeza de terrenos

[Fonte: Rádio Renascença]
“Não foi efetuada qualquer retenção” do Fundo de Equilíbrio Financeiro das câmaras municipais no âmbito da penalização a que os municípios estavam sujeitos por falta de limpeza de terrenos em substituição dos proprietários, avança fonte do MAI.
O Governo assegurou esta quinta-feira que “não foi efetuada qualquer retenção” do Fundo de Equilíbrio Financeiro (FEF) das câmaras municipais no âmbito da penalização a que os municípios estavam sujeitos por falta de limpeza de terrenos em substituição dos proprietários. […]