“O próximo ciclo político tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações”

“O próximo ciclo político tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações”

A três semanas das eleições europeias, os agricultores e as cooperativas agrícolas da União Europeia (UE), representados pelo COPA e pela COGECA, lançaram um manifesto que tem como objetivo incentivar a comunidade agrícola europeia a votar. De acordo com os agricultores europeus, “a agricultura é uma solução para muitos desafios sociais, políticos, ambientais e económicos”.

Pekka Pesonen, Secretário-geral do COPA-COGECA, e um dos signatários do manifesto intitulado WeFarm4EU, defendeu durante a sua apresentação pública que “o próximo ciclo político 2019/2024 tem o poder de determinar o modelo agrícola europeu para as próximas gerações. Enfrentaremos debates difíceis sobre a renovação geracional, o baixo rendimento agrícola, as práticas agronómicas futuras, a volatilidade do mercado e os efeitos das alterações climáticas. Estamos conscientes dos desafios e dispostos a abordá-los e a enfrentar as mudanças que temos pela frente. Nos últimos 60 anos, a Política Agrícola Comum (PAC) tem sido o cimento que liga o projeto europeu e a agricultura. O nível de ambição que a futura Comissão e o novo Parlamento demonstrarão para com a agricultura europeia será um bom indicador, tanto da força do projeto europeu, como da unidade dos Estados-membros.”

O manifesto pretende, assim, demonstrar o papel desempenhado pelos agricultores e pelas cooperativas agrícolas, centrando-se em quatro temas principais: o futuro do setor (WeFarm4Future), a sua contribuição para a proteção do meio ambiente (WeFarm4Planet), o fomento do crescimento económico (WeFarm4Growth) e a manutenção do dinamismo territorial (WeFarm4Community).

“Proporcionar a cerca de quinhentos milhões de cidadãos alimentos sãos, acessíveis, sustentáveis e de qualidade será uma preocupação cada vez maior. Perante o elevado número de agricultores europeus que se reformarão nos próximos anos, o setor agrícola europeu, agora mais do que nunca, deve tornar-se mais atrativo para os novos agricultores. Para conseguir isso, os responsáveis políticos europeus devem centrar-se na melhoria dos rendimentos agrícolas, o que permitirá também aos agricultores cumprir o seu papel como líderes da absorção do carbono e promotores da bioeconomia na luta contra as alterações climáticas”, defendem os signatários.

Conheça o manifesto em www.wefarm4.eu.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior 93,1% dos hortofrutícolas analisados pela DGAV tinham resíduos de pesticidas abaixo dos limites máximos
Próximo “O maior desafio é garantir a sustentabilidade ambiental do nosso planeta”, destaca Sara Cerdas

Artigos relacionados

Últimas

Rede Rural Nacional leva workshop sobre fileira da hortofruticultura ao Cartaxo

A Rede Rural Nacional (RRN) em colaboração com o Centro de Competências do Tomate Indústria (CCTI) e o Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional (COTHN), […]

Sugeridas

Nuno Russo: Tecnologia deve fazer a diferença na projeção da agricultura biológica

O Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, esteve hoje presente na 4ª edição do i-danha […]

Últimas

AEA promoveu workshop “Segurança Alimentar – Rotulagem” Sessão de Esclarecimento – ASAE

Decorreu ontem, dia 6 de julho, pelas 15h00, em Amarante, mais uma sessão de trabalho, destinada a criar mais dinâmica no sector agroalimentar da região, […]