O olival da polémica que tornou Portugal autossuficiente em azeite

O olival da polémica que tornou Portugal autossuficiente em azeite

[Fonte: Expresso]

Durante décadas Portugal dependeu do exterior para pôr azeite no prato. Agora tem um nível de autossuficiência de 150 por cento. Mas o aumento da área de olival não é consensual, e os ambientalistas falam dos perigos da monocultura

Para quem tem passado regularmente pelo Baixo Alentejo ao longo dos últimos 10 ou 15 anos há uma evidência que salta à vista. Onde dantes pontuavam campos abandonados ou semicobertos de pequenas áreas com sementeiras de trigo, evoluem agora extensos olivais alinhados em sebe, uns classificados como ‘intensivos’ e outros ‘superintensivos’, dependendo da distância entre as árvores.

Todos eles com uma característica em comum: são plantações regadas, gota a gota, com água que vem diretamente da albufeira de Alqueva. Essa mesma que demorou mais de 25 anos a ser construída e que agora já irriga mais de 120 mil hectares de olival, amendoal, milho, aveia, cevada, arroz, ervilha, grão de bico, tremocilha, azevém, sorgo, girassol, colza, papoila, e alguns pomares onde se cultivam desde maçãs, citrinos, figos-da-índia, pêssegos e nectarinas, peras e ainda vários tipos de hortícolas e também uvas de mesa e outras para produção de vinho. “Ou seja, não estamos seguramente a falar de uma área preenchida com uma só cultura”, nota uma fonte ligada à EDIA, empresa que gere a barragem e o regadio de Alqueva.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso – iOS e Android – para descarregar as edições para leitura offline)

Comente este artigo

O artigo O olival da polémica que tornou Portugal autossuficiente em azeite foi publicado originalmente em Expresso.

Anterior Assalto ao Castelo - Carlos Neves
Próximo Agroportal cria grupo de Facebook sobre as eleições legislativas de 2019

Artigos relacionados

Nacional

As doenças do lenho e outras patologias – novos tratamentos sem mitos! – 13 de Dezembro 2017 – Vila Real

A nova Casa do Douro/Federação Renovação do Douro vai promover uma Sessão de Esclarecimento: “As doenças do lenho e outras patologias – novos tratamento sem mitos!”, que ocorrerá no dia 13 de Dezembro às 14h30.
Inscrições deverão ser enviadas para o e-mail: renovacaodouro.geral@gmail.com.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Últimas

Veracruz quer criar em Portugal novo ‘cluster’ da produção de amêndoa

[Fonte: O Jornal Económico]

Um dos sócios fundadores da Veracruz, David Carvalho, explica, em entrevista exclusiva ao Jornal Económico, os contorno deste investimento de cerca de 50 milhões de euros nas terras do Fundão e de Idanha-a-Nova

O grupo luso-brasileiro Veracruz anunciou na passada semana, […]

Nacional

Francisco Toscano Rico eleito por unanimidade presidente da CVR Lisboa

[Fonte: Alvorada]
Francisco Toscano Rico, actual vice-presidente do IVV – Instituto da Vinha e do Vinho, foi eleito presidente da CVR – Comissão Vitivinícola da Região da Lisboa, sucedendo no cargo a Bernardo Gouveia, nomeado pelo Governo para presidente do IVV. A eleição, […]