“O Alqueva tem um extraordinário potencial, que está longe de estar realizado”, diz Ana Gomes

“O Alqueva tem um extraordinário potencial, que está longe de estar realizado”, diz Ana Gomes

Tal como a Rádio Campanário noticiou, Ana Gomes, candidata à Presidência da República, esteve ontem, no Centro Cultural de Campo Maior, para a sua segunda ação de campanha, intitulada de Conversas “Cuidar de Portugal”.

Depois de responder às várias questões colocadas pelo público e ter apresentado a sua candidatura, Ana Gomes, em entrevista exclusiva à nossa estação emissora, falou sobre a produção interna do nosso País e, em especial, sobre o Alqueva.

Relativamente à capacidade de Portugal marcar uma posição firme nas diversas vertentes da produção interna, Ana Gomes disse-nos considerar que “não podemos abdicar das atividades essenciais que defendem a nossa autonomia enquanto País”, dando como exemplo as carências verificadas em especial neste tempo de pandemia, que que demonstrou fragilidades na produção, em número suficiente, um pouco por toda a Europa, como é o caso das máscaras ou dos ventiladores.”

Questionada sobre o Alqueva e todas as questões que envolvem o amendoal ou olival intensivo, Ana Gomes adiantou “No setor da agricultura tem havido uma prática que não serve o interesse das populações locais, o interesse nacional e até mesmo o interesse europeu.

Em sua opinião, “deixa-se de desenvolver projetos que acabam por levar valor para o exterior do país, e depois temos consequências como a escassez de recursos naturais, essenciais para a subsistência da agricultura e das próprias populações.”

“Tem que haver inteligência em quem decide ao nível central e local, para não alinhar em projetos que até podem dar grandes promessas de rendibilidade a curto prazo, mas que não será rendibilidade que beneficie os cidadãos e em especial, os que vivem nesta região”, adiantou.

Questionada se concorda com este tipo de agricultura- regadio intensivo- ou se apenas não concorda om o fato do seu investimento vir de investidores estrangeiros, Ana Gomes referiu “estes investimentos são altamente predatórios dos recursos aquíferos do País” referindo ainda que “o Alqueva tem um extraordinário potencial, que está longe de ser realizado. É preciso fazer outros investimentos, nomeadamente fazer outras barragens e outros canais de rega.”

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Técnico Comercial - Engenheiro Agrónomo - Cadaval
Próximo Inaugurada em Évora a “Casa do Montado, Eco-Etnografia”

Artigos relacionados

Dossiers

Tomate coração de boi é cada vez mais aposta no Douro

As três associações de desenvolvimento do Douro vão lançar um livro sobre o tomate coração de boi, um guia de boas práticas de cultivo, […]

Últimas

Cotações – Coelhos – 26 de julho a 1 de agosto 2021

Cotações – Coelhos – 26 de julho a 1 de agosto 2021 […]

Últimas

Indústria do tomate estima prejuízo diário de 4 milhões de euros com greve dos motoristas

O presidente da Associação dos Industriais de Tomate garantiu hoje à Lusa que a greve dos motoristas pode provocar ao setor prejuízos diários de quatro milhões de euros e pôr em causa quatro mil postos de trabalho. […]