Inaugurada em Évora a “Casa do Montado, Eco-Etnografia”

Inaugurada em Évora a “Casa do Montado, Eco-Etnografia”

A “Casa do Montado, Eco-Etnografia”, um projeto que nasceu da vontade de ver valorizado o património agro-silvo-pastoril e a herança etnográfica e gastronómica do Alentejo, foi inaugurada no último dia 9 de outubro, em Évora.

Em Junho de 2017, após 150 anos, a família de Peter Nevelli Ellis Mollet alienou a Herdade do Passareiro, propriedade de 570 ha localizada nos distrito e concelho de Évora, em pleno coração do Sítio do Monfurado da Rede Natura 2000.

A forte ligação da família à fileira da cortiça permitiu que ao longo dos anos fossem conservadas peças ligadas à actividade agrícola e florestal, bem como um valioso arquivo documental.

Por motivos diversos, todo este espólio foi confiado à Casa do Montado, com o intuito de manter viva a memória do trabalho realizado ao longo de gerações e com a missão de perpetuar este património florestal único denominado Montado.

Devido às medidas relacionadas com o Covid-19, actualmente, a exposição terá apenas visitas sob marcação.

O artigo foi publicado originalmente em Rede Rural Nacional.

Comente este artigo
Anterior “O Alqueva tem um extraordinário potencial, que está longe de estar realizado”, diz Ana Gomes
Próximo OE2021: Governo consigna ISP do gasóleo colorido a financiamento do PDR e Mar 2020

Artigos relacionados

Últimas

Sabe quais os desafios do vinho no retalho? Descubra no IVV. Inscrições gratuitas

O IVV — Instituto da Vinha e do Vinho promove, no próximo dia 25 de Setembro, às 11 horas, nas suas instalações em Lisboa, […]

Últimas

Cotações – Cortiça – 11 a 17 de outubro de 2021

Na semana em análise, prosseguiu a campanha de comercialização da cortiça 2021 na área de mercado de Trás-os-Montes […]

Fitotema

“Flagelo na Terra”. Praga de gafanhotos ameaça plantações nos EUA

Uma enorme população de gafanhotos está a proliferar-se no sufocante oeste norte-americano, onde uma seca profunda criou as condições ideais para que os ovos de gafanhotos eclodissem […]