Novos focos de Xylella fastidiosa levam ao alargamento da Área Demarcada

Novos focos de Xylella fastidiosa levam ao alargamento da Área Demarcada

[Fonte: Voz do Campo]

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária emitiu um novo Ofício Circular (12/2019) onde faz saber que prosseguem os trabalhos de prospeção oficial intensiva da bactéria Xylella fastidiosa, após a sua primeira deteção a 3 de janeiro em Vila Nova de Gaia.

Nessa sequência, foram até à data detetados doze focos em espaços públicos e jardins particulares daquele concelho. As espécies de plantas identificadas infetadas compreendem diversas ornamentais e espontâneas, designadamente Lavandula dentata, Lavandula angustifolia, Rosmarinus officinalis, Artemisia arborescens, Coprosma repens, Myrtus communis, Vinca, Ulex europaeus, Ulex minor e Cytisus scoparius

Em resultado destas deteções, têm sido feitos alargamentos da “Área Demarcada” que compreende as “Zonas Infetadas”, incluindo todas as plantas hospedeiras da subespécie da bactéria que se encontram num raio de 100m em redor das plantas contaminadas, e uma “Zona Tampão” circundante de cinco km de raio.

Mapa: Área Demarcada de Xylella fastidiosa – Zonas Infetadas + Zonas Tampão (área circundante de 5 km)

Fonte: DGAV

Comente este artigo

O artigo Novos focos de Xylella fastidiosa levam ao alargamento da Área Demarcada foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Anterior CAP propõe programas de compensação e de investigação contra declínio do montado
Próximo Syngenta anuncia que vai acelerar o seu processo de inovação

Artigos relacionados

Nacional

Agricultores cortaram rio Sorraia para salvar culturas e a polémica instalou-se na Lezíria

[Fonte: Público]

Agricultores e Agência Portuguesa do Ambiente alegam que salinidade do rio Tejo não deixava outra opção, mas há quem fale de ameaça ambiental e de aparecimento de peixe morto.

O curso do rio Sorraia foi interrompido no passado dia 24 pela Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira (ABLGVFX), […]

Últimas

Miguel Freitas vem para implementar a reforma da floresta no terreno

A substituição de Amândio Torres por Miguel Freitas como secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Regional estava já decidida pelo primeiro-ministro e pelo ministro da Agricultura, mesmo antes dos incêndios de Pedrógão Grande e de Góis e é assim também anterior ao facto de a remodelação do Governo ter sido precipitada pela demissão de Fernando Rocha Andrade, […]

Últimas

Capoulas: zonas de caça são responsáveis pelos prejuízos provocados pelos javalis nos terrenos vizinhos

[Fonte: Agricultura e Mar]
O Gabinete do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, diz que está a acompanhar a evolução da população de javalis, mas esclarece a quem devem os agricultores pedir responsabilidades.
Diz um comunicado do Ministério da Agricultura que, […]