Nestlé Portugal adere ao  Código de Boas Práticas na Cadeia Agroalimentar

Nestlé Portugal adere ao Código de Boas Práticas na Cadeia Agroalimentar

A Nestlé Portugal formalizou a sua adesão ao Código de Boas Práticas na Cadeia Agroalimentar (www.boaspraticas.pt).
O Código de Boas Práticas é um instrumento de autorregulação pioneiro em Portugal, formalizado pelos representantes do setor agroalimentar (APED, CAP, CCP, CIP, CNA e CONFAGRI) e tem como objeto assegurar as boas práticas comerciais nas relações verticais, ao longo da cadeia de abastecimento alimentar.

O Código inclui variadas regras e procedimentos com vista a assegurar um processo de autorregulação efetivo, criando um mecanismo de resolução de litígios entre os seus aderentes, fortalecendo a colaboração e a transparência e promovendo a igualdade e a reciprocidade entre todos os intervenientes, desde a produção, passando pela transformação, até à distribuição ao consumidor final.

Paolo Fagnoni, Diretor-Geral do Grupo Nestlé em Portugal comentou: ”Este é para nós um passo lógico e natural, na sequência da nossa adesão em 2013 ao Sistema Europeu “B2B Framework” do qual este Código recebe os seus princípios e regras. O estrito cumprimento da Lei e das Boas Práticas, bem como os mecanismos rápidos e efetivos de resolução de disputas ao longo da cadeia de abastecimento são fundamentais para assegurar o equilíbrio entre todas as partes envolvidas. Enquanto associados da Centromarca e da FIPA apoiámos desde logo a iniciativa de criar este “framework” local, cujo estrito cumprimento julgamos fundamental para assegurar um bom funcionamento do mercado.

Ao participar no Código de Boas Práticas, em linha com o seu propósito de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável, a Nestlé espera colaborar para a construção de uma maior confiança na lealdade das práticas comerciais na cadeia de abastecimento alimentar, estando otimista que a sua participação encorajará outros a fazer o mesmo.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Terra Emergente - T.3 Ep.3 - Agricultura Biológica
Próximo PSD/Açores quer aposta em ambiente, agricultura e turismo para fortalecer o Pico

Artigos relacionados

Últimas

Preocupações da IACA com o aprovisionamento de matérias-primas

A estabilidade e previsibilidade no aprovisionamento de matérias-primas são condições essenciais para garantir a competitividade e sustentabilidade […]

Últimas

MERCADONA já testa produtos de marca própria em Matosinhos

A Mercadona vai entrar em 2019 no mercado português. A cadeia de distribuição espanhola, tal como o Pingo Doce, não faz a distinção entre marca própria padrão e premium. A estratégia da Mercadona assenta no modelo de coinovação, lançado em 2011. O modelo vai ser transposto para Portugal, estando neste momento […]

Utilização sustentável

Princípios da proteção contra a podridão cinzenta

A estratégia de luta contra a Botrytis é preventiva, com dois aspetos essenciais: […]