PSD/Açores quer aposta em ambiente, agricultura e turismo para fortalecer o Pico

PSD/Açores quer aposta em ambiente, agricultura e turismo para fortalecer o Pico

O líder do PSD/Açores considerou esta quinta-feira, o ambiente, a agricultura e o turismo setores fundamentais para fortalecer o tecido económico da ilha do Pico, principalmente através da criação de emprego e da fixação de jovens.

Alexandre Gaudêncio referiu que o Governo dos Açores anunciou esta semana mais um programa para jovens, mas ressalvou que deve ser através da iniciativa privada que se potencia as mais-valias do Pico.

O presidente social-democrata açoriano, que falava aos jornalistas, deslocou-se ao Pico para presidir ao encerramento das jornadas parlamentares do partido, tendo defendido que, ainda no quadro da fixação dos jovens na ilha, deve haver um reforço das acessibilidades aéreas e marítimas, visando criar mais emprego e reforçar a economia local.

Para Alexandre Gaudêncio, o recente anúncio do Governo Regional de reforço de voos da SATA Air Açores no verão “é sempre positivo”. Contudo, “é sempre pouco”, uma vez que a ilha já possui mais de duas mil camas.

O dirigente prometeu estar atento a “eventuais percalços, como tem acontecido nos últimos anos”, nas ligações aéreas.

No entender do PSD, o Pico “tem-se afirmado no turismo”, mas “há ainda muita coisa a tratar no domínio das acessibilidades”, além da necessidade de melhoria da rede viária terrestre, com os caminhos agrícolas “muito aquém das expectativas”.

“Esses caminhos agrícolas, hoje, mais do que nunca, são utilizados não só pelos produtores agrícolas, mas principalmente pelo turismo que está a chegar em força à ilha, felizmente”, disse o dirigente social-democrata.

No início das jornadas parlamentares, o deputado do PSD/Açores Marco Costa pediu o reforço das ligações aéreas à ilha do Pico, dizendo que a procura é maior do que a oferta e que os voos interilhas estão “totalmente sobrelotados”.

Os deputados do PSD/Açores denunciaram o que dizem ser queixas dos empresários em torno do “número de ligações” para a ilha do grupo Central, nomeadamente no que diz respeito aos voos interilhas.

“Gostaríamos de deixar uma nota. Estamos numa fase de pleno funcionamento de muitas infraestruturas ligadas ao turismo e é preocupação dos empresários nesta altura a falta de acessibilidades para o Pico”, prosseguiu Marco Costa, falando à margem de uma visita ao Centro de Formação Agrícola Matos Souto, na freguesia da Piedade, concelho das Lajes do Pico.

O PSD/Açores afirmou-se ainda preocupado com o “financiamento à formação dos empresários agrícolas e dos jovens agricultores”, acusando o executivo regional de “falta de planeamento na execução de fundos comunitários”, por exemplo.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Nestlé Portugal adere ao Código de Boas Práticas na Cadeia Agroalimentar
Próximo Nenhum município foi penalizado por falta de limpeza de terrenos

Artigos relacionados

Últimas

Syngenta busca visão partilhada para o futuro da agricultura sustentável

Empresa compromete-se com os stakeholders na construção de uma visão partilhada para o futuro da agricultura sustentável
Considerando o importante papel que as modernas tecnologias agrícolas podem desempenhar
Sessões de consulta em todo o mundo para informar e construir consenso e identificar áreas-chave de atuação

A Syngenta inicia este mês de Setembro, […]

Sugeridas

Oferta de emprego – Agricultor Biológico (M/F) – Quinta do Vale da Lama

Estamos à procura de um agricultor que assuma o compromisso de produzir produtos frescos e biológicos para servir os nossos clientes de Agro Turismo e que esteja empenhado no desenvolvimento de uma CSA (agricultura de suporte local e comunitária) /negócio para mercado de produtos hortícolas.

Nacional

Vai ser criado o Centro Nacional de Competências para as Alterações Climáticas do Sector Agroflorestal

“Alterações climáticas: Que desafios para o sector agroflorestal nacional?” é o tema de um colóquio que se vai realizar a 11 de Setembro, […]