Município espera certificação da cereja de Alfândega da Fé até à próxima feira

Município espera certificação da cereja de Alfândega da Fé até à próxima feira

O presidente da Câmara de Alfândega da Fé, Eduardo Tavares, expressou hoje a expectativa de alcançar a certificação da cereja deste concelho do distrito de Bragança até à próxima feira anual, habitualmente realizada no mês de junho.

A ambição para o produto mais emblemático deste concelho tem vários anos e o processo “é moroso”, mas o autarca local acredita que este ano será possível concretizar a atribuição de Indicação Geográfica Protegida (IGP) à cereja de Alfândega da Fé.

O selo de qualidade “valorizará ainda mais a cereja” símbolo do município de Alfândega da Fé, que não é o maior produtor nacional do fruto, mas fez dele uma atração gastronómica e turística e motivo de uma feira/festa anual há 37 anos.

Esta cultura serviu também de exemplo à aposta da autarquia em fixar jovens no concelho através da agricultura, vincando hoje numa iniciativa via internet, uma webinar sobre o setor que abriu um ciclo de sessões de reflexão e contributos para a agenda 2030 de Alfândega da Fé.

Há quatro anos, o município avançou com o arrendamento de terras a jovens agricultores para plantarem pomares de cereja e foram feitos quatro investimentos que alargaram a área de produção em mais 25 hectares.

O presidente da Câmara garantiu hoje que este projeto levou outros agricultores a investirem na cultura e quer alargar o incentivo a outros culturas e projetos.

A aposta que está a ser feita no regadio no concelho ou em parcerias com municípios vizinhos, nomeadamente no Vale da Vilariça, tem o propósito de criar condições para o desenvolvimento de projetos e atrair os jovens.

Segundo o autarca há outras culturas em desenvolvimento, desde o azeite aos frutos secos, nomeadamente a castanha com o número de soutos a aumentar no concelho.

A autarquia tem apoiado o setor também no combate a doenças e pragas e com campos de investigação para “ajudar os agricultores a investir e produzir melhor”.

O secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Rui Martinho, participou também nesta webinar, indicando que “duas linhas de ação do Governo estão centradas na valorização da pequena agricultura e na agricultura familiar”.

O governante lembrou que foram aumentados os pagamentos a estas áreas, não foram aplicados rateios às zonas desfavorecidas e as ajudas agroambientais foram alargadas a jovens agricultores que estavam impedidos de se candidatar.

O Governo promete ainda apoios à criação de agrupamentos de agricultores e majorações em linhas de créditos e seguros agrícolas para a agricultura familiar.

Comente este artigo
Anterior Movimentação de Agricultores e da mão-de-obra familiar para as suas explorações
Próximo Prémios no valor de 355 mil euros atribuídos a Produtores de Leite que apostam na valorização do leite e dos queijos com DOP da Região Centro

Artigos relacionados

Últimas

Governo do Panamá instala chips nas árvores para travar abate ilegal

O Governo do Panamá instalou ‘chips’ com códigos QR em árvores das florestas da província de Darién, na fronteira com a Colômbia e reserva da biosfera, […]

Sugeridas

Exportações de vinhos portugueses cresceram 8,3% em agosto

As exportações de vinhos portugueses cresceram em agosto 8,3% em valor e 8,2% em volume face a igual mês de 2019, adiantou o Ministério da Agricultura, em comunicado, citando dados do […]

Últimas

I CLBHort: Material propagativo de espécies hortícolas – avanços e desafios futuros – 2 de Novembro 2017 – Lisboa

Os materiais propagativos são cruciais para a obtenção de produtos de qualidade que possam ser competitivos num mercado global. Nesta mesa redonda do I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura, […]