Município de Silves debateu a escassez de água na agricultura

Município de Silves debateu a escassez de água na agricultura

Reunião promoveu ainda o debate sobre o estado atual do Sistema Aquífero Querença-Silves e a necessidade da implementação imediata de planos de rega mais eficientes e sustentáveis

O Município de Silves promoveu, em articulação com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Direção Regional de Agricultura do Algarve, no passado dia 21 de outubro, no auditório da FISSUL, um debate demorado sobre a problemática da escassez de água que se verifica na agricultura.

O debate contou com a forte presença de agricultores, agentes vários e a Associação de Regantes de Silves, Lagoa e Portimão.

Segundo o município, “o debate foi o culminar de diversas reuniões de trabalho promovidas pelo município”, que foram anteriormente realizadas “com representantes de agricultores da zona do Benaciate, com a Direção Regional de Agricultura, a APA e na sequência da exposição apresentada junto da empresa Águas do Algarve, onde foi manifestada séria preocupação pela quebra brusca dos caudais e da pressão nas captações de água subterrânea, particularmente, na zona do Benaciate, colocando em perigo a viabilidade das explorações agrícolas, sobretudo, citrinos.”

As diligências promovidas pela autarquia surtiram efeito, sendo que os volumes de água extraídos pela empresa Águas do Algarve foram reduzidos aos mínimos autorizados pela APA.

No debate foi abordado o estado atual do Sistema Aquífero Querença-Silves que tem sido afetado pela seca hidrológica, a necessidade da implementação imediata de planos de rega mais eficientes e sustentáveis, bem como a aplicação de medidas estruturantes no médio/longo prazo no âmbito do Plano Regional de Eficiência Hídrica do Algarve.

“O Município de Silves faz da defesa e promoção da agricultura concelhia, fundamentalmente, do subsector da laranja e da citricultura, mas também das restantes produções agrícolas, um dos eixos estratégicos da sua política autárquica, ou, não seja, o concelho de Silves, o maior produtor nacional de citrinos”, conclui a autarquia em comunicado.

O artigo foi publicado originalmente em Postal do Algarve.

Comente este artigo
Anterior A sustentabilidade como arma de arremesso
Próximo 8º relatório provisório de incêndios rurais: 1 de janeiro a 15 de outubro

Artigos relacionados

Últimas

Apoio à realização de queimadas avança em Vila Real, Viseu e Guarda

A Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) está a apoiar a Realização de Queimadas nos distritos de Vila Real, […]

Comunicados

Centro Pinus: Resultados do questionário sobre a Execução das Operações Florestais do PDR2020

Em janeiro de 2021 o Centro PINUS publicou um relatório sintetizando a informação pública relativa à execução das operações disponíveis para o sector florestal no PDR2020. […]

Nacional

Proteção Civil dos Açores presente no CASCADE’19

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) está presente no exercício europeu CASCADE’19, o maior simulacro alguma vez realizado em Portugal, […]