Município de Oleiros financia combate biológico à vespa das galhas do Castanheiro

Município de Oleiros financia combate biológico à vespa das galhas do Castanheiro

O Serviço Municipal de Proteção Civil/Gabinete Técnico Florestal do Município de Oleiros, em conjunto com os técnicos da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro – José Carlos e Cidalina Marques –  deslocaram-se aos locais previamente identificados pelos proprietários de Castanheiros afetados pela Vespa das Galhas do Castanheiro, no concelho de Oleiros.

Recorde-se que, foi realizada uma ação de sensibilização em Oleiros, no passado dia 6 de novembro, no Auditório da Casa da Cultura, que envolveu a DRAPC e a RefCast – Associação Portuguesa da Castanha. Esta ação foi determinante para ajudar os proprietários a perceberem melhor a problemática e a fazerem parte da monitorização e identificação da mesma, aliando-se assim ao Município no sentido de identificar as diversas situações. Após os dados recolhidos no terreno, o SMPC/GTF envia a informação para a DRAPC, que a analisa e avalia, e posteriormente considera/comunica a necessidade de realização de largadas*.

Dryocosmus kuriphilus Yasumatsu, conhecido como a vespa-das-galhas-do-castanheiro é um inseto que ataca vegetais do género Castanea, induzindo a formação de galhas nos gomos e folhas, provocando a redução do crescimento dos ramos e a frutificação, podendo diminuir drasticamente a produção e a qualidade da castanha e conduzir ao declínio dos castanheiros. É atualmente considerada uma das pragas mais prejudiciais para os castanheiros em todo o mundo e que na Europa – particularmente na região mediterrânica – pode constituir uma séria ameaça à sustentabilidade dos soutos e castinçais.

O método mais eficaz de combate à vespa é a luta biológica que consiste na *largada dos parasitoides Torymus sinensis – insetos que se alimentam das larvas que estão nas árvores e são capazes de exterminar a vespa. Em Portugal não existem – até ao momento – produtos fitofarmacêuticos homologados para utilizar no combate a esta praga, pelo que é expressamente proibida a aplicação de quaisquer produtos fitofarmacêuticos para controlo do D. kuriphilus. O nosso Município em estreita articulação com a Associação Portuguesa da Castanha, suporta monetariamente a aquisição do método biológico de luta, de modo a fazer face a esta praga e diminuir assim, os efeitos que a mesma poderá trazer à produção de Castanha no nosso concelho e na região.

O Município de Oleiros volta assim a solicitar à população que caso detete a presença deste tipo de ramos em algum castanheiro comunique à DRAPC ou Gabinete Técnico Florestal/Serviço Municipal de Proteção Civil de Oleiros.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Concelho de Santiago do Cacém recebe novo investimento na área da suinicultura
Próximo Freshfel incentiva sector a estimular o consumo de hortofrutícolas na Europa

Artigos relacionados

Últimas

How speech recognition techniques are helping to predict volcanoes’ behaviour

Dr Luciano Zuccarello grew up in the shadow of Mount Etna, an active volcano on the Italian island of Sicily. Farms and orchards ring the lower slopes of the volcano, […]

Nacional

Autarca de Mação lamenta que ministro o tenha atacado em vez de expressar solidariedade

O presidente da Câmara de Mação lamentou esta quarta-feira que o ministro da Administração Interna o tenha “atacado pessoalmente”, em vez de “expressar solidariedade a um concelho que teve 95% da área florestal ardida nos últimos dois anos”. […]

Nacional

Portugal Fresh leva 46 empresas e entidades à Fruit Attraction 2019

Em 2019, o espaço conjunto promovido na Fruit Attraction, em Madrid (Espanha), pela Portugal Fresh – Associação para a Promoção das Frutas, […]