Multinacional de óleo de palma arrasa florestas, polui águas e viola direitos na Libéria

Multinacional de óleo de palma arrasa florestas, polui águas e viola direitos na Libéria

A sucursal liberiana da Golden Agri Resources admite que não pagou o suficiente pelos seus crimes ambientais. O curioso é que um dos accionistas é a BlackRock Inc. que atrai investidores por defender práticas ambientais sustentáveis.

Na empobrecida Libéria, na costa Ocidental de África, a sucursal da segunda maior empresa de óleo de palma admitiu ter destruído florestas e violado os direitos humanos da população local. Ao mesmo tempo, a sua empresa mãe está entre os líderes do sector na percepção dos investidores em relação às políticas ambiental, social e de governança (critérios ESG). […]

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Aumento do preço do leite aos produtores vai custar 20 milhões por ano
Próximo Ovino: predominan las subidas en los precios de los corderos

Artigos relacionados

Últimas

Webinar: Investimento em floresta autóctone em minifúndio – 14 de setembro

As regiões do país em que domina a pequena propriedade têm tido dificuldade em alavancar investimento público, um dos entraves à gestão da floresta no norte e centro do país […]

Notícias florestas

Florestas.pt estabelece sete parcerias para cocriação de informação e conhecimento

O Florestas.pt, plataforma digital dedicada à floresta portuguesa, acaba de estabelecer parcerias com sete entidades portuguesas, tendo em vista a partilha, dinamização e enriquecimento do conhecimento que disponibiliza. […]

Últimas

Previsão período alargado – 14 set. a 11 out. 2020

Precipitação total semanal com valores acima e temperatura média semanal com valores abaixo do normal […]