Morreu Agostinho Álvares Ribeiro, projectista de sete barragens do Douro

Morreu Agostinho Álvares Ribeiro, projectista de sete barragens do Douro

De Miranda a Crestuma, Álvares Ribeiro participou em quase todos os projectos no Douro e, com essa experiência, criou a área de Estudos de hidráulica na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Galgava o Douro algumas das suas margens, num dia de cheias muito controladas pelas suas barragens, quando se soube da morte do engenheiro de hidráulica responsável pelo projecto de sete destes empreendimentos que em Portugal, ao longo de mais de duas centenas de quilómetros, modelam os humores do rio e aproveitam os seus desníveis para a produção de energia.

Agostinho Álvares Ribeiro tinha 93 anos. Morreu esta quarta-feira e o seu desaparecimento foi assinalado pela Câmara do Porto. “A obra não desmente o legado imortal de uma personalidade que ficará para sempre na nossa memória como um dos grandes nomes da engenharia portuguesa do século XX, que também deixou o seu inestimável contributo para as novas gerações de engenheiros”, salienta o presidente do município, Rui Moreira.

Nascido no Porto em 1927 e doutorado em 1956, com uma tese sobre o Método de Cálculo de Barragens Arco, Agostinho de Sousa Guedes Álvares Ribeiro lançou os estudos de Hidráulica na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, recorda um dos seus alunos e posterior companheiro na FEUP, Fernando Veloso Gomes. “Ele dedicava-se às barragens e reuniu a primeira equipa, para a qual arranjou um número dois notável, para a área do ciclo urbano da água, que era o professor Novais Barbosa [que viria a ser reitor da UP]”, recorda o catedrático especialista em hidráulica marinha que se jubilou no ano passado.

O primeiro laboratório de hidráulica

Veloso Gomes assinala que, além de ter incentivado o surgimento de estudos nesta área – “foi ele que criou o primeiro laboratório que tivemos”, lembra –,

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Banco Alimentar Mundial disponibiliza 49,4 ME a Angola para aumentar produção
Próximo Prolacto tenciona investir em leite biológico através dos fundos comunitários da UE

Artigos relacionados

Últimas

Tesco experimenta venda de batatas não lavadas para diminuir desperdício alimentar

A venda de batatas não lavadas nas lojas está a ser testada pela retalhista britânica Tesco, com o objetivo de tentar duplicar a vida na prateleira dos supermercados, diminuindo […]

Últimas

Chefe da diplomacia portuguesa realiza hoje visitas ao interior de Angola

O chefe da diplomacia portuguesa, que cumpre hoje o seu segundo dia de visita ao país, tem agendado um encontro com o governador da província do Huambo, […]

Sugeridas

Confagri recebida em audiência pelo Presidente da República

A confederação das cooperativas agrícolas transmitiu ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, preocupação com o período de transição da Política Agrícola Comum (PAC), notando que […]