“Ministro Capoulas Santos seria um belíssimo comissário para a Agricultura”

“Ministro Capoulas Santos seria um belíssimo comissário para a Agricultura”

Sem concordar com todas as medidas tomadas por Capoulas dos Santos, o presidente da CAP diz, no entanto, que seria um excelente nome para comissário europeu da agricultura.

Não é concordante com toda a política do Governo para a Agricultura, mas Eduardo Oliveira e Sousa, presidente da CAP (Confederação dos Agricultores de Portugal) vê mérito em Capoulas dos Santos, ministro com a pasta.

Não se atreve a indicar se Capoulas dos Santos deve ficar com a mesma tutela num eventual governo socialista que resulte das eleições de outubro, mas já não é tão comedido a pedir que Portugal lute por ter um comissário europeu para a Agricultura. E nesse âmbito não tem dúvidas: “O ministro Capoulas Santos seria um belíssimo comissário para a Agricultura”, assume em entrevista ao Negócios e Antena 1 o presidente da CAP.

“Eu devo aqui fazer justiça. O senhor ministro Capoulas Santos foi um extraordinário relator para a política agrícola comum que vai acabar agora. Houve uma altura até que se pensava que ele regressaria a Bruxelas e que seria um bom comissário para a Agricultura e eu sou o primeiro a defendê-lo”.

Nomes à parte, Eduardo Oliveira e Sousa acredita mesmo que “estava na altura de haver um português a assumir essa pasta” e, reafirma, “seríamos muito bem representados se Capoulas Santos pudesse ser o próximo comissário”.

Os elogios não se estendem à governação que faz no Ministério da Agricultura. “Uma coisa é termos facilidade de acesso, franqueza nas relações, mas temos pontos de vista bastante diferentes”, diz o presidente da CAP, dando como exemplo a questão da água. “Gostaríamos que puxasse um pouco pela sua condição de ministro para levar o governo a estudar estas matérias”. E também não gostou da forma “como foi montado o denominado pacote florestal”. Outra área que contesta é a transferência de algumas competências.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Anterior São Lourenço do Barrocal. No interior do Alentejo há um hotel que se pode comer
Próximo Estratégia para reutilizar água confronta escassez com necessidades de consumo

Artigos relacionados

Últimas

Aquecimento social, alerta global

Uma Europa socialmente inclusiva é condição para ter êxito no combate às alterações climáticas As alterações climáticas são um desafio fundamental do nosso tempo. […]

Nacional

Falhou o Seminário Instrumentos de Adição de Valor para o Sector Vitivinícola? Veja as comunicações

A ADVID – Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense, no seguimento do Seminário Instrumentos de Adição de Valor para o Sector Vitivinícola, […]

Dossiers

Corticeira Amorim lança tecnologia anti-TCA para rolhas de espumante

A Corticeira Amorim anuncia o lançamento mundial das primeiras rolhas de cortiça para vinhos espumantes com garantia de TCA não detetável*. […]