Medidas excecionais de apoio ao setor do vinho são “necessárias e determinantes para mitigar impacto da crise”

Medidas excecionais de apoio ao setor do vinho são “necessárias e determinantes para mitigar impacto da crise”

A CAP tem vindo a defender junto do Ministério da Agricultura, ao longo das últimas semanas, a necessidade de serem adotados mecanismos de compensação financeira aos produtores vinícolas, capazes de contribuírem eficazmente para uma mitigação da crise que o setor vive, marcada por uma deterioração do preço e por dificuldades no escoamento.

Assim, é com satisfação que a CAP regista o anúncio, hoje mesmo feito pelo Gabinete da Senhora Ministra da Agricultura, que foi aprovado o reforço do pacote de medidas de crise de apoio ao setor dos vinhos para 18 milhões de euros, verificando-se um incremento de 10 para 12 milhões de euros para a medida de destilação e de 5 para 6 milhões de euros para o armazenamento.

No que respeita à medida de destilação, salienta-se que esta contempla aumentos diferenciados para os vinhos com denominação de origem, com indicação geográfica e também para os vinhos provenientes de zona de montanha. É uma medida que tem em conta as diferentes realidades das zonas produtivas.

A CAP não pode deixar de reconhecer também, o trabalho e o empenho do Instituto da Vinha e Vinho na procura da melhor solução de apoio ao sector. Para além das medidas de crise de apoio ao setor dos vinhos no contexto da destilação e armazenamento, é de destacar o reforço do valor da dotação da Reserva Qualitativa do Vinho do Porto, que de acordo com o anunciado pelo Gabinete da Ministra irá passar para 5 milhões de euros.

Estas medidas são necessárias e determinantes para mitigar o impacto da crise e representam um passo importante no apoio direto aos produtores num contexto exigente, que requer uma atuação firme e dedicada traduzida no incremento do apoio financeiro.

Este aumento de verba não soluciona por completo os constrangimentos de um setor com um peso importante no cabaz de produtos do setor agroalimentar, mas é um contributo relevante numa altura em que a incerteza dos consumidores e dos mercados internacionais causada pela pandemia é ainda expressiva.

Comente este artigo
Anterior Altas temperaturas: DGAV reforça medidas necessárias ao transporte dos animais
Próximo Incêndios: Dois 'drones' da Força Aérea começam a operar na terça-feira a partir da Lousã

Artigos relacionados

Últimas

Porco Alentejano esteve quase extinto e foi salvo por Ourique

Há quem lhe chame porco preto mas em Ourique corrige-se imediatamente. É porco alentejano e foi salvo da extinção precisamente em Ourique. O risco […]

Dossiers

Covid-19: Governo impõe registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e construção

O Governo aprovou hoje um decreto-lei que estabelece a obrigação excecional e temporária de registo diário de trabalhadores de explorações agrícolas e do setor da construção. […]

Últimas

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 20 a 26 Abril 2020

Na região de Trás-os-Montes, nas áreas de mercado Terra Fria e Alto Tâmega a oferta foi média/alta e a procura média/baixa. Fraco volume de […]