Mau tempo em Mogadouro: apoios do Estado “são migalhas”, diz PSD

Mau tempo em Mogadouro: apoios do Estado “são migalhas”, diz PSD

Os apoios de 15 euros por hectare dados pelo Governo e pelo município para fazer face aos prejuízos causados nas vinhas pelo mau tempo de sábado são “migalhas”, disse o PSD da região.

A Câmara de Mogadouro, no distrito de Bragança, anunciou nesta terça-feira que será exigido ao Governo que sejam implementadas medidas compensatórias e linhas de crédito, destinados aos agricultores do concelho, afetados pelo mau tempo de sábado.

Em comunicado, publicado na página oficial do município, na rede social Facebook, é dito que “posteriormente, e independente da ajuda que o município entendeu atribuir aos agricultores do concelho, seja igualmente pedido e exigido ao Governo que sejam implementadas medidas compensatórias e linhas de crédito destinadas aos agricultores, do concelho de Mogadouro, afetados pela intempérie” vincou a autarquia presidida por Francisco Guimarães.

O PSD de Mogadouro disse nesta terça-feira que os apoios dados pelo Governo e pelo município para fazer face aos prejuízos causados nas vinhas pelo mau tempo de sábado são “migalhas”.

A Direção Regional de Agricultura e o município de Mogadouro anunciaram segunda-feira um apoio de 15 euros por hectare, destinados a tratamentos para evitar a perda total da colheita em cerca de mil hectares de vinha afetados pelo mau tempo.

A Comissão Política do PSD de Mogadouro indicou hoje, em comunicado, que não se pode calar e questiona “se tão pobre esmola será o bastante para minimizar os prejuízos”.

Outra das questões levantadas pelos social-democratas prende-se com a falta de apoios a outro tipo de culturas que de igual forma foram afetadas.

“Como é possível que uma câmara municipal que desbarata centenas de euros em bailaricos cá dentro e lá fora, e que pagou 3.500 euros a cada ocupante ilegal do Bairro Fundo Fomento, confrontada com esta desgraça que se abateu sobre a principal atividade económica do concelho, se limita dar migalhas, ainda para mais repartidas com o Governo”, questiona a Comissão Política presidida por Daniel Ribeiro.

O presidente da Câmara de Mogadouro, Francisco Guimarães, já havia referido que os estragos podem chegar aos 80% do total em produções como a vinha, acrescentando que o município já tem no terreno equipas de operários para fazer a manutenção de caminhos vicinais, muros ou outros equipamentos de apoio à agricultura.

A trovoada que ocorreu no sábado no concelho de Mogadouro, afetou pelo menos um milhar de hectares de vinha e provocou estragos em outras culturas como o olival, hortícolas, soutos e amendoal.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Observador.

Anterior Von der Leyen não convenceu o PAN com o seu "discurso redondo"
Próximo VITIS 2020-2021

Artigos relacionados

Últimas

Previsões agrícolas do INE: boas perspectivas para produções de pomares e vinhas

As previsões agrícolas do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 31 de Julho, apontam para aumentos de produtividade, face à campanha anterior, […]

Últimas

AGROGARANTE. Conversas de Agricultura em Braga

A Agrogarante – Sociedade de Garantia Mútua, S.A. organiza o Fórum “Conversas de Agricultura” no próximo dia 28 de março em Braga, […]

Últimas

Mais de 200 especialistas mundiais em águas agrícolas vão reunir-se em Cabo Verde


Mais de 200 especialistas em gestão de águas agrícolas de todo o mundo vão estar reunidos no primeiro Fórum Internacional sobre Escassez de Água na Agricultura que decorre na cidade da Praia, […]