Mais de 40 concelhos de nove distritos em risco máximo de incêndio

O IPMA colocou vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental em risco muito elevado e elevado de incêndio.

Este risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou sob aviso amarelo os distritos de Viana do Castelo, Porto, Braga, Castelo Branco, Santarém, Leiria, Lisboa, Setúbal, Évora e Beja até às 21h de hoje.

O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Na terça-feira, o Governo declarou a situação de alerta de agravamento do risco de incêndio florestal entre as 00h de quarta-feira e as 23h59 de domingo, para todo o território continental.

Um despacho conjunto do Ministério da Administração Interna (MAI) e do Ministério da Agricultura refere que a Proteção Civil determinou a passagem de estado de alerta especial nível vermelho do dispositivo especial de combate a incêndios rurais para 13 distritos do centro e norte do país, e a passagem a estado de alerta laranja para os distritos de Évora, Lisboa e Setúbal, permanecendo Beja e Faro em alerta laranja, que já estava em vigor.

Os distritos em alerta vermelho, o mais elevado da escala, são Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Santarém, Coimbra, Guarda, Portalegre, Porto, Vila Real, Viana do Castelo, Viseu e Leiria, devido às altas temperaturas esperados para os próximos dias e agravamento do risco de incêndios.

Entre outras medidas de caráter excecional no âmbito da situação de alerta, consta a “elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da GNR e da PSP”, com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamento e apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, e a proibição total de utilização de fogo de artifício ou de outros artefactos pirotécnicos.

Prevê ainda a proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais e caminhos rurais.

Estão também proibidas queimadas e queimas de sobrantes de exploração, além da utilização de trabalhos nos espaços florestais, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais.

O IPMA prevê para hoje, nas regiões do norte e centro, tempo quente com céu geralmente limpo, vento em geral fraco do quadrante norte, tornando-se moderado no litoral a partir do início da tarde, por vezes forte na faixa costeira, e soprando moderado a forte nas terras altas a partir do meio da tarde.

Está também prevista uma descida da temperatura máxima no litoral.

Na região sul prevê-se tempo quente com céu geralmente limpo e um aumento temporário de nebulosidade no Baixo Alentejo e Algarve, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada durante a tarde.

A previsão aponta ainda para vento fraco a moderado do quadrante norte, rodando temporariamente para sudoeste na costa sul do Algarve e soprando por vezes forte nas terras altas a partir do final da tarde.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 14 graus Celsius (em Bragança e Braga) e os 23 (em Portalegre) e as máximas entre os 25 (em Aveiro) e os 39 (em Évora e Santarém).

Continue a ler este artigo no Expresso.

Comente este artigo
Anterior Alterações climáticas põem em causa viabilidade de várias culturas agrícolas europeias
Próximo Portugal manteve situação de seca em agosto

Artigos relacionados

Comunicados

Para acabar com os mal entendidos CONFAGRI apoia difusão da iniciativa “ Meatthefacts”

A CONFAGRI uniu-se a várias organizações europeias para apoiar a iniciativa “European Livestock Voice” (A Voz Europeia da Pecuária), […]

Últimas

Associação de produtores pede que Governo concretize eleições da Casa do Douro

A recém-criada Associação dos Viticultores e da Agricultura Familiar Douriense (AVADOURIENSE) instou hoje o Governo a concretizar o processo eleitoral da Casa do Douro para que esteja ao “serviço da região e dos seus produtores”. […]

Últimas

Paulo Alves quer «novas oportunidades de negócio e novos públicos» para Monchique

Paulo Alves, no terceiro lugar a contar da esquerda, na conferência “Novos Desafios para a Coesão Territorial”

Paulo Alves, candidato do PS à […]