Mação congratula-se por passo dado com plano de recuperação florestal

Mação congratula-se por passo dado com plano de recuperação florestal

O presidente da câmara de Mação congratulou-se esta quarta-feira com a criação de um grupo de trabalho para elaborar o plano de transformação territorial para recuperar o município, Sertã e Vila de Rei, considerando que “é um bom início”.

“É um primeiro passo para tentar reconverter e revitalizar o território, depois de nos dois últimos anos mais de 90% da floresta do concelho ter sido destruída”, disse Vasco Estrela à agência Lusa.

O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural anunciou que já foi criado um grupo de trabalho que vai elaborar o Plano Integrado de Transformação Territorial para recuperação dos concelhos de Mação, Sertã e Vila de Rei, afetados por incêndios em julho.

Congratulando-se com a decisão do executivo, Vasco Estrela destacou o facto de o grupo de trabalho integrar quatro ministérios (Agricultura, Economia, Planeamento e Ambiente), o que “mostra o empenho do Governo”.

O grupo de trabalho, que será coordenado pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), irá ainda integrar representantes daqueles municípios, da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais, da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, das organizações de produtores agrícolas e florestais dos concelhos afetados e da Associação de Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul.

“Há muitos anos que a câmara de Mação reclamava algo deste género”, acrescentou Vasco Estrela, ressalvando, contudo, que não vale agora a pena estar a lamentar o tempo perdido.

Esta, salientou, “foi a altura possível” e é um “bom início e um bom princípio”.

Segundo o Ministério da Agricultura, o objetivo do plano é recuperar a área ardida e ativar a gestão agroflorestal dos concelhos de Mação, no distrito de Santarém, e Sertã e Vila de Rei, em Castelo Branco, também afetados por fogos rurais noutros anos.

O documento deverá ser apresentado até 30 de abril de 2020, ficando o grupo de trabalho responsável pelo acompanhamento da sua execução.

O incêndio que deflagrou em 20 de julho deste ano em Vila de Rei, e que se propagou ao concelho de Mação, foi dado como dominado em 23 de julho, e causou 17 feridos que foram transportados para o hospital, de acordo com as autoridades.

As freguesias mais atingidas pelas chamas foram as da Fundada e de São João do Peso, do município de Vila de Rei, e a de Amêndoa e de Cardigos, no município de Mação.

Com uma área de cerca de 40 mil hectares, dos quais 80% de mancha florestal, o município de Mação teve 85% do território e 95% da sua floresta destruídos pelos incêndios de 2017 e de 2019.

Fonte: Sapo.pt

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Casal de Caseiros - Arraiolos
Próximo Feira de Agosto em Grândola destaca produção de arroz e azeite - 26 de agosto

Artigos relacionados

Últimas

Primeira participação da InovCluster na Marocco FoodExpo

A InovCluster – Associação do Cluster Agro-Industrial do Centro, marcou presença entre os dias 8 e 10 de dezembro na 2ª Edição do Marocco Food Expo, […]

Nacional

Rádios locais “a bater mato” atrás dos incêndios

Neste P24, viramos a atenção para a primeira linha de informação das populações quando há incêndios: as rádios locais. 

Logo após um directo, […]

Nacional

Proença-a-Nova: Centro Ciência Viva da Floresta apresenta “Cogumelos em Selos”

São mais de 2.500 os selos de diferentes cogumelos de dezenas de países e mais de 750 as peças filatélicas, entre blocos, […]