Lusovini inaugura em Nelas cave para produção de espumante e envelhecimento de vinho

Lusovini inaugura em Nelas cave para produção de espumante e envelhecimento de vinho

A Lusovini – Vinhos de Portugal inaugura hoje, em Nelas, uma cave que permitirá aumentar a produção de espumantes e mostrar o potencial da região do Dão no que respeita ao envelhecimento dos seus vinhos.

Escavada na terra no perímetro da sede social da Lusovini, a nova cave representa um investimento de 1,5 milhões de euros e será inaugurada pela ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

“Produzíamos cerca de 50 mil garrafas de espumante. Com esta cave, ficamos com condições para produzir cerca de 200 mil”, disse à agência Lusa a presidente do conselho de administração da Lusovini, Sónia Martins.

Vários acionistas da Lusovini, incluindo Sónia Martins, são naturais da região da Bairrada e desde sempre conviveram com o espumante.

“O facto de termos vindo para o Dão começar a fazer espumantes obriga-nos a ter condições. Uma das condições importantíssimas é que tenhamos um local com temperatura controlada, abaixo dos 20 graus, para fazer a segunda fermentação do espumante em garrafa e em temperaturas constantes durante, no mínimo, um ano”, explicou a enóloga, acrescentando que este processo pode demorar “dois, três ou quatro anos”.

Segundo Sónia Martins, atualmente, existe “um mercado interessantíssimo de espumantes” e, mesmo o espumante do Dão, não sendo um produto muito típico da região, já tem procura.

A cave também foi construída com a intenção de concretizar o objetivo de “fazer vinhos que possam estagiar durante mais anos e não irem para o mercado tão cedo, para demonstrar que o Dão tem o potencial de colocar no mercado vinhos brancos e tintos com mais tempo de garrafa”.

“Os vinhos do Dão são vinhos com alguns taninos e alguma elegância, que, quando novos, podem ser difíceis de compreender pelo consumidor. Portanto, quisemos ter vinhos com mais tempo de garrafa, mais tempo de estágio”, contou.

Neste âmbito, será lançada hoje uma edição exclusiva de 1.200 garrafas do vinho branco DOC Dão Pedra Cancela Intemporal, de 2012.

Sónia Martins disse que se trata de “uma provocação ao consumidor”, porque “não é muito normal as marcas lançarem vinhos brancos com tanto tempo de garrafa”.

“Fizemo-lo com o intuito de mostrar que a região pode fazer este tipo de vinhos, tem este potencial”, sublinhou.

A inauguração da cave da Lusovini está integrada na 29.ª Feira do Vinho do Dão, que se realiza em Nelas, de hoje a domingo, com edição ‘online’.

Segundo a autarquia, “Nelas irá acolher o seu evento maior adaptado à atual situação pandémica que o mundo enfrenta, aproveitando as novas tecnologias para levar os vinhos do Dão aos quatro cantos de Portugal e do mundo, e fazer deste o fim de semana de excelência dos vinhos da região”.

Comente este artigo
Anterior Agosto quente e verão muito quente e muito seco
Próximo Prorrogação do período de candidaturas - PDR2020: Investimento na Exploração Agrícola - Agricultura Biológica

Artigos relacionados

Eventos

Projeto iSQAPER: Qual a qualidade dos nossos solos? – 29 de outubro – Coimbra

Irá ser realizada uma demonstração em campo do projeto sob o tema “Projeto iSQAPER – Qual a qualidade dos nossos solos?”, […]

Notícias florestas

Universidade de Évora: Efeitos da expansão do eucalipto no regime de fogo em Portugal

[Fonte: Universidade de Évora]
“Os eucaliptos, especialmente o Eucalyptus globulus, têm sido extensivamente plantados e atualmente dominam a maioria das paisagens florestais portuguesas. […]

Nacional

Reconhecimento facial para animais adaptado à produção animal

Depois de se tornar num dos principais países criadores de recursos de reconhecimento facial em humanos, a China pretende adaptar esta tecnologia aos focinhos de animais com o objetivo de a utilizar na produção animal. […]