Live Lab Academia e Floresta a 12 de Novembro na Gulbenkian

Live Lab Academia e Floresta a 12 de Novembro na Gulbenkian

[Fonte: Celpa]

30 Outubro, 2018

No dia 12 de Novembro de 2018 a CELPA – Associação da Indústria Papeleira organizará o Live Lab Academia e Floresta, que contará com a presença de Abílio Pereira Pacheco (Universidade do Porto), António Bento Gonçalves (Universidade do Minho), Domingos Lopes (Universidade de Trás os Montes e Alto Douro em representação do presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas), Elvira Fortunato (Universidade Nova de Lisba), Helena Pereira (Fundação para a Ciência e Tecnologia) e Rogério Rodrigues, (ICNF). Carlos Amaral Vieira, director geral da CELPA – Associação da Indústria Papeleira, fará o discurso de abertura.

O live lab é um formato aberto, em que o público poderá entrar no debate.

Para inscrições e outras informações: cofinaeventos@cofina.pt

Comente este artigo

O artigo Live Lab Academia e Floresta a 12 de Novembro na Gulbenkian foi publicado originalmente em Celpa.

Anterior Segundo Concurso de Ideias de Negócio AgriEmpreende recebeu 14 candidaturas
Próximo Seminário Aspetos de Bem-estar animal e produção pecuária - 31 de outubro - Elvas

Artigos relacionados

Comunicados

Joint statement by Vice-President Katainen, Commissioner Hogan and Commissioner Vella on World Water Day

On World Water Day the European Commission promotes innovative water reuse, which is good for jobs, farms and the environment.
On 22 March 2017, […]

Comunicados

Estudantes da UC reinventam o consumo de leguminosas

Aumentar o leque de alternativas ao consumo de proteína animal no mercado foi o objetivo que levou quatro estudantes da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) a desenvolver o inovador “Legutê” – leguminosas em patê. […]

Notícias florestas

Universidade de Évora: Efeitos da expansão do eucalipto no regime de fogo em Portugal

[Fonte: Universidade de Évora]
“Os eucaliptos, especialmente o Eucalyptus globulus, têm sido extensivamente plantados e atualmente dominam a maioria das paisagens florestais portuguesas. […]