Lista Vermelha de espécies ameaçadas tem 1.840 novas entradas

Lista Vermelha de espécies ameaçadas tem 1.840 novas entradas

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) apresentou a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas atualizada, esta terça-feira, com mais 1.840 novas entradas, e pediu “ação rápida” para combater a degradação de ecossistemas.

A atualização da Lista Vermelha da UICN foi divulgada para coincidir com a realização da 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, em Madrid. Com as novas 1.840 espécies, a Lista Vermelha reúne, agora, 30.178 espécies ameaçadas.

A UICN alerta, em comunicado, para as múltiplas ameaças que animais e plantas selvagens enfrentam. Acrescem os crescentes impactos das alterações climáticas, pelo que é preciso uma “ação rápida”.

“As alterações climáticas juntam-se a múltiplas ameaças que as espécies enfrentam e devemos agir rapidamente e de forma decisiva para conter a crise”, advertiu Grethel Aguilar, diretora geral da UICN citada no comunicado.

Atividades humanas prejudicam vida selvagem

Num relatório sem precedentes, a Plataforma Intergovernamental Científica e Política sobre a Biodiversidade e os Serviços Ecossistémicos (IPBES) listou, em maio passado, os principais fatores da queda acentuada da biodiversidade.

O principal destaque foi para as mudanças na utilização da terra (como a agricultura), a sobre-exploração (caça e pesca), as alterações climáticas, a poluição e as espécies invasoras, tudo tendo como pano de fundo o crescimento demográfico e o aumento do consumo por habitante.

“A atualização [da Lista Vermelha] revela o impacto cada vez maior das atividades humanas na vida selvagem”, diz Jane Smart, que dirige o grupo da conservação da biodiversidade na UICN.

A UICN aponta como impactos das alterações climáticas os que sofrem os peixes fluviais da Austrália, 37% dos quais estão ameaçados de extinção, mais de metade destes devido a alterações climáticas. Ou os eucaliptos, com 25% das espécies do mundo ameaçadas.

No documento, a UICN destaca 10 espécies de aves e dois peixes de água doce para os quais a situação melhorou.

Mais de 112.000 espécies estão listadas na Lista Vermelha, em diferentes níveis de preocupação.

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Comente este artigo
Anterior Seminário o Mercado do Vinho - 17 de dezembro - Lisboa
Próximo Desempenho climático. “Portugal tem políticas avulsas, em vez de uma intervenção estruturada”

Artigos relacionados

Últimas

Lousã regista “aumento significativo” da presença da vespa velutina

Em comunicado, a Câmara da Lousã, no distrito de Coimbra, diz ser “muito importante o reforço da intervenção na eliminação” dos ninhos daquela vespa de origem asiática, […]

Últimas

Se frenan las bajadas en los precios de los huevos


Esta semana se ha parado la tendencia a la baja en los precios que se había anotado en las últimas semanas y las cotizaciones de los huevos se mantienen sin cambios, […]

Últimas

ADRAL: Alentejo tem “condições ideais” para atrair investimento na Califórnia

[Fonte: O Jornal Económico]

A economia do Alentejo “está bem diferente de décadas anteriores” e as infraestruturas oferecem “condições ideais” para captar o interesse de investidores da Califórnia, […]