Lista Vermelha de espécies ameaçadas tem 1.840 novas entradas

Lista Vermelha de espécies ameaçadas tem 1.840 novas entradas

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) apresentou a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas atualizada, esta terça-feira, com mais 1.840 novas entradas, e pediu “ação rápida” para combater a degradação de ecossistemas.

A atualização da Lista Vermelha da UICN foi divulgada para coincidir com a realização da 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, em Madrid. Com as novas 1.840 espécies, a Lista Vermelha reúne, agora, 30.178 espécies ameaçadas.

A UICN alerta, em comunicado, para as múltiplas ameaças que animais e plantas selvagens enfrentam. Acrescem os crescentes impactos das alterações climáticas, pelo que é preciso uma “ação rápida”.

“As alterações climáticas juntam-se a múltiplas ameaças que as espécies enfrentam e devemos agir rapidamente e de forma decisiva para conter a crise”, advertiu Grethel Aguilar, diretora geral da UICN citada no comunicado.

Atividades humanas prejudicam vida selvagem

Num relatório sem precedentes, a Plataforma Intergovernamental Científica e Política sobre a Biodiversidade e os Serviços Ecossistémicos (IPBES) listou, em maio passado, os principais fatores da queda acentuada da biodiversidade.

O principal destaque foi para as mudanças na utilização da terra (como a agricultura), a sobre-exploração (caça e pesca), as alterações climáticas, a poluição e as espécies invasoras, tudo tendo como pano de fundo o crescimento demográfico e o aumento do consumo por habitante.

“A atualização [da Lista Vermelha] revela o impacto cada vez maior das atividades humanas na vida selvagem”, diz Jane Smart, que dirige o grupo da conservação da biodiversidade na UICN.

A UICN aponta como impactos das alterações climáticas os que sofrem os peixes fluviais da Austrália, 37% dos quais estão ameaçados de extinção, mais de metade destes devido a alterações climáticas. Ou os eucaliptos, com 25% das espécies do mundo ameaçadas.

No documento, a UICN destaca 10 espécies de aves e dois peixes de água doce para os quais a situação melhorou.

Mais de 112.000 espécies estão listadas na Lista Vermelha, em diferentes níveis de preocupação.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior Seminário o Mercado do Vinho - 17 de dezembro - Lisboa
Próximo Desempenho climático. “Portugal tem políticas avulsas, em vez de uma intervenção estruturada”

Artigos relacionados

Últimas

Los eurodiputados agrícolas dan su visto bueno a Wojciechowski como futuro comisario de Agricultura

Janusz Wojciechowski
Janusz Wojciechowski ha recibido el respaldo de la Comisión de Agricultura del Parlamento Europeo (Comagri) para ser el próximo comisario de Agricultura de la UE. […]

Nacional

Governo dos Açores apoia aquisição de manga veterinária pelo Núcleo de Criadores de Raças de Carne na ilha Terceira

O Director Regional da Agricultura, José Élio Ventura afirmou, na ilha Terceira, que o Governo dos Açores esteve, está e estará […]

Últimas

Marcelo alerta que cortes nas políticas agrícola e de coesão podem ser erro irreversível

O Presidente da República defendeu esta quarta-feira que o próximo quadro financeiro plurianual da União Europeia não deve cortar nas políticas agrícola e de coesão, […]