Leite – Aumento temporário do preço é claramente insuficiente

Leite – Aumento temporário do preço é claramente insuficiente

Os produtores de leite das cooperativas associadas na Lactogal, a maior empresa de lacticínios em Portugal e que recolhe cerca de 70% do leite produzido no continente, foram informados na semana passada que «face aos resultados na Lactogal, o leite será pago com um bónus de 1 cêntimo nos meses de Novembro e Dezembro».
Este “aumento temporário” do preço do leite ao produtor é positivo mas claramente insuficiente, ficando o valor recebido pelos produtores abaixo do custo estimado de produção, na ordem dos 35 cêntimos, e abaixo do valor médio previsto na União Europeia para Outubro (36 cêntimos).

A referência a um “bónus” apenas para Novembro e Dezembro é um pré-anuncio de descida do preço em Janeiro, apesar de haver indicadores que os preços no mercado europeu de lacticínios seguirão altos e estáveis nos próximos seis meses. Esse pré-anuncio de descida é o contrário da esperança que os agricultores precisam, num ano de custos acrescidos com a seca e a desolação dos incêndios.
Considerando a produção recolhida anualmente pela Lactogal, podemos estimar que o “bónus” anunciado representará apenas uma despesa de 1,5 milhões de euros, para uma empresa que no ano passado gerou resultados de quase 30 milhões. Estando este ano o mercado de produtos lácteos claramente mais favorável, é só isto que esta empresa tem a partilhar com os produtores?

Recordamos que a Lactogal é uma empresa líder de mercado em Portugal, pertence às cooperativas que pertencem aos produtores, e o preço que paga funciona como referência para as indústrias privadas.
Nesse sentido, desafiamos a Lactogal a assumir a sua responsabilidade, a fazer mais e melhor para valorizar o leite produzido em Portugal e desafiamos também as restantes empresas, nomeadamente empresas multinacionais, especializadas em produtos lácteos de valor acrescentado, a darem o exemplo e pagarem o que pagam noutros países da união europeia.

A Direção da APROLEP

Comente este artigo
Anterior La XXIV Fiesta de la Trashumancia exhibe patrimonio natural y ecológico en Madrid
Próximo Investissement Isagri intègre le 1er fonds de capital-risque dédié à l'innovation agricole

Artigos relacionados

Comunicados

FCTUC: Acreditação do IPAC coloca o Laboratório de Radioatividade Natural da FCTUC na vanguarda da Península Ibérica

[Fonte: FCTUC]
O Laboratório de Radioatividade Natural (LRN) do Departamento de Ciências da Terra da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) é o primeiro laboratório da Península Ibérica a obter acreditação da norma ISO 17025 (norma internacional para a padronização de ensaios e calibração) para avaliação de todos os parâmetros radiológicos que permitem responder à globalidade das exigências impostas pela União Europeia relativas à proteção contra os perigos da exposição a substâncias radioativas naturais. […]

Nacional

Ativista diz que sem a Amazónia “florestas em Portugal vão começar a pegar fogo”

[Fonte: Correio da Manhã]

As florestas em Portugal vão “começar a pegar fogo” quando a Amazónia for destruída, alertou esta terça-feira o ambientalista brasileiro Tarcísio Feitosa para quem aquela “máquina de água para chuvas” é uma responsabilidade de todo o mundo. […]

Comunicados

Herdade do Freixo do Meio: “Aldeia solar” vai nascer em Montemor-o-Novo

Projeto de eficiência energética da Boa Energia poupa 19.600€/ano à Herdade do Freixo do Meio
A Boa Energia juntou-se à Herdade do Freixo do Meio, empresa agrícola que gere montado em modo de produção agroecológico, num projeto de autoconsumo de energia solar que irá criar a “Aldeia Solar do Freixo do Meio”, […]