José Graziano da Silva: “Comemos tanta porcaria, porque não escorpião?”

José Graziano da Silva: “Comemos tanta porcaria, porque não escorpião?”

Em fim de mandato, o director-geral da FAO deixa um legado de optimismo e angústia: há cada vez mais fome, mas é simples erradicá-la. Essa é a parte boa. A má é o aumento de obesos. Já são mais do que os famintos.

Após oito anos como director-geral da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO), uma agência especializada das Nações Unidas, José Graziano da Silva acaba esta semana os seus dois mandatos (2012-19) com más notícias: não só a fome está a aumentar, como já há mais obesos do que famintos. A guerra conta-se com dois números: 830 milhões versus 820 milhões.

“A obesidade é mais difícil de combater porque está em todo o lugar. Pior: é fruto do nosso sistema alimentar”
RUI GAUDÊNCIO/PÚBLICO
Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Público.

Anterior Ambientalistas e associações de Setúbal pedem à tutela que proteja o Sado e a Arrábida
Próximo El equilibrio entre la oferta y la demanda mantiene los precios del aceite de oliva sin apenas cambios

Artigos relacionados

Sugeridas

Las ayudas de la PAC para 2020 podrían sufrir recortes


Las ayudas directas de la PAC que los agricultores y ganaderos beneficiarios solicitarán a principios de 2020 y que se pagarán a partir del 16 de octubre podrían sufrir un recorte, […]

Últimas

ZF Aftermarket – a trabalhar hoje nos serviços de tecnologia agrícola do amanhã

Na principal feira comercial de máquinas agrícolas do mundo que está a decorrer em Hanover, na Alemanha – Agritechnica 2019 – […]

Nacional

“Criar Raízes” depois dos incêndios. Mil árvores vão ser plantadas na serra da Estrela

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, a organização destaca a importância de contribuir para a reflorestação da zona, lembrando que os incêndios atingiram, […]