Investigadores fazem descoberta, com potencial de tornar agricultura mais sustentável

Investigadores fazem descoberta, com potencial de tornar agricultura mais sustentável

Um sofisticado mecanismo de defesa desenvolvido pela raiz de plantas foi a recente descoberta de um grupo de cientistas dos Estados Unidos, da Holanda e do Brasil, com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Meio Ambiente.

Entender o funcionamento dessa estrutura pode contribuir, no futuro, para o controle de doenças e pragas agrícolas, e reduzir o uso de produtos químicos, tornando a agricultura mais sustentável.

Em 2011, a equipa de pesquisadores já havia descrito o modo como as plantas controlam o recrutamento de bactérias no solo mais próximo das raízes e as usam para se proteger de doenças.

Agora, a pesquisa mostrou que, quando atacadas por patógenos, organismos capazes de causar doenças, as raízes das plantas conseguem interagir com fungos e bactérias do solo para se proteger em uma escala muito mais complexa e ampla do que já era conhecida pela ciência.

O pesquisador brasileiro, chefe adjunto de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Meio Ambiente, Rodrigo Mendes, explicou que, “caso um fungo vença as duas primeiras barreiras que são impostas pelo solo e pelo tecido da planta, uma terceira barreira é acionada, a planta consegue recrutar microorganismos específicos dentro do tecido da raiz, e é capaz de fazer com que eles produzam substâncias que impeçam o ataque do fungo. Então, existe um arsenal de moléculas produzidas dentro das raízes das plantas pelos microorganismos que impedem que o fungo se estabeleça e cause doença na planta hospedeira”, disse.

Um artigo sobre o resultado inédito da pesquisa foi publicado na revista norte-americana Science, uma das publicações académicas mais prestigiadas do mundo, descrevendo como a flora microbiana que vive dentro das raízes defende naturalmente as plantas contra a invasão de organismos causadores de doenças.

Benefícios da pesquisa

Rodrigo Mendes contou que a pesquisa segue em andamento para avançar em estratégias que possam ser aplicadas na agricultura para torná-la mais sustentável com o uso de menos agrotóxicos.

Experimento com mudas de beterraba cultivadas da Embrapa Meio Ambiente

“O entendimento da condição do solo, que permite com que a planta se proteja naturalmente, permite a gente desenvolver estratégias de manejo que favoreça a defesa natural da planta e não precise ou diminua a necessidade de utilizar moléculas químicas no campo. Despertar esse mecanismo na planta faz a gente não ter que usar outras estratégias”, explicou.

No experimento foram analisadas mudas de beterraba cultivadas. Segundo Mendes, a descoberta expande o potencial para investigar esse mecanismo em demais culturas.

Fonte: www.gov.br

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior O aviso dos cientistas: quase 300 milhões de pessoas podem ter de abandonar as suas casas devido à subida do nível do mar. Portugal também não escapa à "fúria" do mar
Próximo João Ponte: Agricultura nos Açores está hoje melhor preparada para vencer os desafios

Artigos relacionados

Últimas

Vendidos 540 cabazes de hortofrutícolas pela internet em Valongo desde dezembro

O projeto “O Mercado”, de venda na internet de produtos hortofrutícolas iniciado em dezembro de 2020 em Valongo, já vendeu 540 cabazes a mais de 200 famílias, anunciou hoje a câmara, acrescentando a cooperativa terem superado as […]

Nacional

Quais os benefícios da tecnologia na gestão florestal?

O investigador Jorge Cunha, do INESC TEC, foi um dos oradores do AgroIn 2019. Em entrevista à VIDA RURAL explica quais os maiores benefícios da tecnologia na gestão da floresta. […]

Nacional

Incêndios: Dispositivo de combate tem disponíveis 30 meios aéreos – Força Aérea

O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) tem disponíveis 30 meios aéreos face aos 37 previstos para esta altura do ano, […]