InovCluster repete presença em Barcelona, numa das maiores montras europeias do Agroalimentar

InovCluster repete presença em Barcelona, numa das maiores montras europeias do Agroalimentar

A InovCluster, em parceria com a PortugalFoods, organizaram a participação de empresas portuguesas na Alimentaria Barcelona, um certame internacional dedicado ao agroalimentar, que decorreu entre os dias 16 e 19 de abril.

A 22ª edição do certame contou com a participação de cerca de 60 empresas portuguesas e assumiu-se como uma verdadeira plataforma de internacionalização, potenciando inúmeros contactos bilaterais entre empresas e potenciais compradores.

Este é um dos maiores eventos europeus do sector que decorre a cada dois anos, reunindo profissionais não só do país vizinho, mas também de toda a Europa, Africa e América Latina, agregando mais de 4.000 expositores, sendo esperados acima de 150.000 visitantes, constituindo uma importante porta de entrada nos mercados europeus e mundial.

Em exposição estiveram produtos alimentares, hortícolas e bebidas de todo o mundo, esperando a InovCluster com esta iniciativa, possibilitar aos empresários oportunidades e resultados junto dos visitantes e compradores de mais de 70 países, entre os quais Argentina, Alemanha, Equador, Bélgica, Holanda, China e Rússia, entre outros.

Cláudia Domingues Soares, Presidente da Inovcluster, afirma “a importância da sinergia de atuação da Inovcluster e da PortugalFoods ao nível do alinhamento da estratégia de promoção do setor agroalimentar” e acrescenta que “a Inovcluster vai continuar a apoiar as empresas na internacionalização dos seus produtos, atuando como uma plataforma dinamizadora do setor agroindustrial português”.

Para Ricardo Gomes, Diretor Geral da Lacto Serra, este evento foi muito produtivo em relação à angariação de novos contatos, conhecimento das tendências do mercado Espanhol.

Joana Leão, técnica da ADPM, refere que o certame tem sido uma ótima experiência, permitindo a oportunidade de dar a conhecer os Queijos de Serpa internacionalmente.

Lívia Novais da Pessoa Wines, empresa jovem produtora de vinhos com sede em Castelo Branco, salienta que a feira tem grande potencial e pode vir a ajudar a empresa no mercado Espanhol, divulgando a marca, permitindo obter novos contactos.

Nuno Jorge, sommelier da Cacao Divine diz que a Alimentaria é uma das melhores feiras internacionais, onde conseguem reunir contactos não só para o Mercado Espanhol mas para todo o mundo. A plataforma B2B estabelecida é muito importante pelo facto de permitir reuniões com importadores de diversas nacionalidades.

Segundo Filipe Simões, Diretor Executivo da Frueat, este certame constitui um momento estratégico para que o mercado português e espanhol sejam vistos como um único mercado, o Ibérico.

Esta participação insere-se no Projeto Conjunto de Internacionalização 2016/18, financiado pelo COMPETE 2020 e aposta numa lógica de continuidade naqueles que têm sido os mercados alvo do trabalho de Internacionalização da InovCluster.

 

Comente este artigo
Anterior DOURO TGV 2018 - Turismo/Gastronomia/Vinho em debate, à prova e à mesa - 23 a 25 de Maio 2018 - Vila Real.
Próximo Assinatura contrato de fornecimento entre continente e operadores da fileira dos cereais - 30 de Abril 2018 - Beja

Artigos relacionados

Comunicados

Incêndios Florestais “medram” com a Eucaliptização industrial intensiva…

A partir de dados recentes provenientes do ICNF (Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas), pode-se aferir que os Incêndios Florestais (em média) estão a aumentar de extensão e violência. […]

Comunicados

Projecto Melhor Eucalipto em Coruche no próximo dia 12 de Abril

Acção de informação destinada a proprietários do Ribatejo e do Alto Alentejo acontece na próxima sexta-feira, 12 de Abril, no Observatório do Sobreiro e da Cortiça. […]

Nacional

‘Brexit’, PAC, Portugal ou… um novo Alqueva – Editorial Teresa Silveira+Suplemento Agrovida

O Reino Unido ainda não abandonou a União Europeia (UE), mas os efeitos práticos negativos desse adeus ao projeto europeu já começam a bater-nos à porta. […]