INE prevê menor produtividade na pêra e tem boas perspectivas para o pêssego

O vingamento irregular nas pereiras diminui a produtividade desta cultura, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE) no seu Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Julho de 2019. A produtividade deverá diminuir 10%, face a 2018.

Quanto às macieiras, de um modo geral, a floração/vingamento decorreu com condições meteorológicas favoráveis. No entanto, nas duas principais zonas produtoras, a evolução tem sido díspar.

Na Beira Douro e Távora prevê-se um aumento significativo da produtividade face à anterior campanha, estando a decorrer a monda manual de frutos (após a monda química) para obter frutos de maior calibre.

No Alto Oeste, o rendimento unitário deverá diminuir 10% face a 2018, com uma menor carga. Globalmente, prevê-se que a produtividade seja próxima das 22 toneladas por hectare, 9% acima da média do último quinquénio.

Pêra com queda de 10%

Quanto à pêra, com cerca de 90% da produção concentrada no Oeste, confirma-se a irregularidade do vingamento, sobretudo devido às baixas temperaturas nocturnas e à precipitação ocorridas em Abril naquela região, que também conduziram à queda de frutos vingados. A produtividade deverá diminuir 10%, face a 2018.

Pêssego

Já nos pessegueiros, a carga de frutos é superior à da campanha anterior, confirmando-se a indicação de que a colheita deverá ser antecipada em, pelo menos, uma semana em relação ao habitual. A produtividade estimada ultrapassa as 13 toneladas por hectare, o que, a verificar-se, será a maior dos últimos trinta e três anos.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Aviões de combate a incêndios vão para Mirandela
Próximo Pedrógão Grande: Revita deverá reanalisar suspensão de apoios a casas no final do mês

Artigos relacionados

Últimas

Agricultura pós-covid – Portas que se fecham e janelas que se abrem

Ao princípio, parecia que a agricultura seria dos setores menos afetados pela crise do coronavírus. Na eminência de quarentena, os portugueses, […]

Últimas

Chamas consumiram quase 24 mil hectares em sete meses

Quase 24.000 hectares foram destruídos pelos incêndios este ano, segundo os dados provisórios avançados pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). […]

Últimas

Despesa com a agricultura vai aumentar 7,2% em 2017

O Governo planeia aumentar a despesa com a agricultura, florestas, desenvolvimento rural e mar em cerca de 7,2% já no próximo ano. […]