Indústria agro-alimentar prevê superar 17 mil milhões de volume de negócios este ano

Indústria agro-alimentar prevê superar 17 mil milhões de volume de negócios este ano

[Fonte: Revista Frutas Legumes e Flores]

«Portugal pode orgulhar-se da sua indústria agro-alimentar». Foi assim que João Torres, secretário de Estado da Defesa do Consumidor deu início ao seu discurso na abertura do sétimo congresso da Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares (FIPA), que decorre esta terça-feira, 25 de Junho, no Convento do Beato, em Lisboa.

João Torres sublinhou ainda que esta indústria tem uma «importância estratégica na dinamização da economia nacional» e «tem vindo a registar um dinamismo crescente e uma boa performance tanto no mercado nacional como nos mercados internacionais».

O secretário de Estado da Defesa do Consumidor destacou também os importantes desafios que a indústria tem enfrentado e continuará a enfrentar «para corresponder aos desafios impostos pela escassez de recursos e alterações climáticas», num contexto em que «as escolhas dos consumidores têm um papel fundamental».

O secretário de Estado manifestou a disponibilidade «inequívoca» do Governo para a criação de diálogo entre os vários envolvidos na cadeia agro-alimentar no sentido de trabalhar a superação dos vários desafios presentes e futuros.

O Congresso teve início com o discurso do presidente a FIPA. Jorge Tomás Henriques destacou precisamente a importância da indústria portuguesa agro-alimentar. Esta deverá ultrapassar, em 2019, os 17 mil milhões de euros em volume de negócios, dos quais cinco mil milhões «são fruto do trabalho ao nível das exportações, representando 19% do total da indústria transformadora». Além disso, esta indústria é composta por um universo de mais de 11 mil empresas e responsável por cerca de 115 mil postos de trabalho directos e 500 mil indirectos.

Mas, «a verdade é que, se por um lado é o maior sector industrial do País, tanto ao nível da criação de riqueza, como de emprego, por outro lado a indústria agro-alimentar tem sido alvo de intervenções e iniciativas sem fundamento que colocam em causa a sua reputação e desvalorizam, quase sempre, a importante evolução que tem sido feita com vista a dar reposta aos dinâmicos desafios da sociedade», frisou o presidente da FIPA.

O presidente da FIPA deixou também um alerta: «medidas de carácter unilateral e impositivas por parte do Governo ou do Parlamento terão consequências de muito menor alcance ao nível da saúde pública». «E é por tudo isto que não aceitamos que a indústria agroalimentar continue a ser o ‘bode expiatório’ de todos os problemas relacionados com a saúde».

«Esperamos que, para o nosso sector em particular e após os compromissos de reformulação, fique definitivamente afastada, no próximo orçamento do Estado, a ameaça de impostos especiais ao consumo e que haja vontade política de eliminar o imposto discriminatório que foi aplicado às bebidas refrescantes», conclui Jorge Tomás Henriques.

«Ao longo dos seus 32 anos de existência, a FIPA antecipou com energia e determinação os vários desafios que foram sendo colocados às nossas empresas, seja nas vertentes da produtividade e segurança alimentar, como nas crescentes exigências dos consumidores e nos emergentes debates da sociedade, que assentam no papel da alimentação e da nutrição na promoção da saúde, no bem-estar das populações e na sustentabilidade», resumiu o presidente da FIPA.

O Congresso da FIPA é o maior evento que se realiza em Portugal no âmbito da indústria agro-alimentar. Na sétima edição deste evento foram abordados quatro temas centrais: inovação, empreendedorismo, digital e economia circular.

Comente este artigo

O artigo Indústria agro-alimentar prevê superar 17 mil milhões de volume de negócios este ano foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Anterior Indústria agro-alimentar portuguesa prevê superar 17 mil milhões de volume de negócios este ano
Próximo Liga dos Bombeiros. Decisão de levar comandante de Pedrogão a julgamento é “ignorante”

Artigos relacionados

Nacional

Portugueses criam snacks de queijo desidratado

[Fonte: Vida Rural]
Chama-se Truly’s – Food (R)evolution e é um snack de queijo desidratado 100% natural, sem conservantes e sem glúten. A marca nacional está a apresentar-se ao mercado e chega já em junho a todas as lojas Continente do país, […]

Nacional

Produtividade dos cereais cai nesta campanha

[Fonte: Vida Rural]

A pouca precipitação durante o mês de março deverá levar à diminuição da produtividade dos cereais nesta campanha, de acordo com as previsões agrícolas do INE a 31 de março deste ano.
Segundo o INE, “o desenvolvimento vegetativo foi diminuto, […]

Nacional

Estudantes da UTAD discutem Inovação e o Futuro da Floresta

[Fonte: Voz do Campo]

A Associação de Estudantes de Engenharia Florestal (AEEF) vai realizar as VI Jornadas Florestais. O evento decorre no Auditório do Ciências Florestais da Escola de Ciências e Tecnologia (Pólo II), na Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD), […]