Incêndios: Área ardida até sexta-feira 52% abaixo da média dos últimos 10 anos

Incêndios: Área ardida até sexta-feira 52% abaixo da média dos últimos 10 anos

A área ardida em Portugal, até sexta-feira, situou-se 52% abaixo da média dos últimos 10 anos e houve menos 48% de incêndios rurais relativamente à média do mesmo período, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna.

De acordo com um comunicado oficial, registaram-se 9.471 incêndios rurais até 16 de outubro, quando a média entre 2010 e 2019 foi de 18.277 incêndios, e a área ardida foi de 66.171 hectares, enquanto a média da última década situou-se nos 136.502 hectares.

Indica ainda que, segundo o Relatório Provisório de Incêndios Rurais do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) 2020 apresenta o 2.º valor mais reduzido em número de incêndios, e o 4.º valor mais reduzido de área ardida, desde 2010.

No início de outubro, a Acréscimo – Associação de Promoção ao Investimento Florestal, tinha anunciado que Portugal registou este ano a segunda maior área atingida por incêndios florestais na União Europeia, com pelo menos 61 mil hectares ardidos, “prejudicando as populações, os solos, os recursos hídricos e a saúde pública”.

Na altura, a associação fez uma avaliação negativa do período de incêndios florestais deste ano, indicando que Portugal passou da quinta para a segunda posição na área ardida, segundo os registos do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS, na sigla em inglês), que contabilizam os fogos com área ardida superior a 30 hectares.

Ainda segundo a nota do Ministério da administração Interna hoje divulgada, de 01 a 15 de outubro esteve em vigor o nível III do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para 2020, com 9.804 operacionais, 2.277 equipas, 2.154 veículos e 60 meios aéreos.

Acrescenta que, até ao dia 31 de outubro, mantêm-se neste dispositivo 41 meios aéreos.

“Recorde-se que, não obstante a definição dos vários níveis de empenhamento de meios ao longo do ano, a Diretiva que estabelece o DECIR prevê a flexibilidade operacional, podendo o dispositivo ser reforçado caso as condições meteorológicas o recomendem”, indica ainda a mesma nota.

Comente este artigo
Anterior Só Beja e Faro escapam à invasão da vespa-asiática
Próximo Previsão do tempo para a semana 18 – 24 Outubro

Artigos relacionados

Últimas

PSD Açores quer avaliação dos preços do produtor ao consumidor final

O candidato do PSD/Açores pelo círculo eleitoral da Terceira Rui Espínola alertou hoje para a necessidade de se conhecer “a formação dos preços dos nossos agroalimentos, de modo a existir […]

Últimas

O produtor não pode ser remunerado apenas pela madeira

É um recurso que produz bens ambientais, é fonte de biodiversidade, contribui para o sequestro de CO2, zela pela qualidade do ar e da água. “Temos de encontrar mecanismos para custear os restantes recursos de que toda a sociedade […]

Últimas

Roda de Diálogos: Produzir e Consumir Local – 28 de novembro – Vinhais

A Roda de Diálogos: “Produzir e Consumir Local”, vai realizar-se no dia 28 de novembro de 2019, no Centro Cultural Solar dos Condes de Vinhais. […]