Humanos já alteravam substancialmente ambiente há três mil anos

Humanos já alteravam substancialmente ambiente há três mil anos

Vale Torata, no Peru, já era uma paisagem agrícola no ano 600 d.C.

Os humanos já transformavam substancialmente a ecologia da Terra há três mil anos, quando começou a fazer-se uma agricultura mais intensiva, indica um estudo divulgado esta sexta-feira na revista científica Science.

Através de uma avaliação arqueológica global do uso antigo da terra provou-se que a actividade humana na pré-história não era tão inócua e que os primeiros caçadores-recolectores, agricultores e pastores tiveram um efeito muito maior na paisagem da Terra e muito mais cedo e mais amplo do que inicialmente se pensava.

Esta informação contraria a ideia de que as mudanças ambientais em larga escala causadas pelos humanos são um fenómeno recente, uma ideia que facilmente se assume devido ao foco que hoje se dá às alterações climáticas, ao aquecimento global e às energias renováveis.

No entanto, segundo o estudo, os humanos começaram a modificar o ambiente há já dez mil anos e o primeiro impacto ambiental global tem pelo menos três mil anos, segundo Gary Feinman, curador de antropologia Museu Field em Chicago, Estados Unidos, e um dos 250 autores do estudo.

De acordo com o investigador, citado num comunicado do Museu Field, para se entender a actual crise climática é preciso entender também a história dos humanos a alterar os seus ambientes.

O estudo, liderado por Lucas Stephens, da Universidade da Pensilvânia, também nos Estados Unidos, faz parte de um projecto maior chamado ArchaeoGLOBE, que reúne informações online de especialistas regionais sobre como o uso da terra mudou ao longo do tempo em 146 diferentes áreas do mundo.

E essas informações mostram que a pegada ecológica não era assim tão pequena quanto se imaginava, disse Gary Feinman, segundo o qual há três mil anos os humanos faziam agricultura muito invasiva em diversas partes do mundo.

Segundo os autores do trabalho os seres humanos começaram a derrubar florestas para fazer agricultura e os pastores também desflorestaram para fazer criação intensiva de animais.

“Embora a taxa em que o ambiente está a mudar seja muito mais drástica, vemos os efeitos que os impactos humanos tiveram na Terra há milhares de anos”, disse Ryan Williams, outro dos autores do estudo também do Museu Field.

Conhecer o início dos impactos ambientais pode ajudar a perceber, por exemplo, que soluções as civilizações antigas usaram para mitigar efeitos negativos do desmatamento ou da falta de água.

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Já fez a sua Declaração de Existências de Suínos? Só já tem 1 dia. Evite coimas
Próximo Artificial intelligence runs NK seed selection tool from Syngenta

Artigos relacionados

Últimas

Vento dificulta combate ao incêndio em Ourique

O vento está a dificultar o combate às chamas no incêndio florestal que deflagrou hoje à tarde no concelho de Ourique, […]

Últimas

Syngenta inaugura 1.º Centro Comunitário de Lavagem de Pulverizadores em Portugal

O 1.º Centro Comunitário de Lavagem de Pulverizadores e Tratamento de Efluentes Fitossanitários em Portugal foi inaugurado a 21 de Junho, […]

Dossiers

Coated seeds may enable agriculture on marginal lands

A specialized silk covering could protect seeds from salinity while also providing fertilizer-generating microbes. […]