Homem morreu no incêndio florestal em Vimioso

Homem morreu no incêndio florestal em Vimioso

O incêndio foi dado como dominado na noite de sexta-feira. Vítima tinha terrenos agrícolas na área do incêndio.

Um homem de cerca de 80 anos foi neste sábado encontrado morto dentro do perímetro do incêndio que deflagrou na sexta-feira em Santulhão, no concelho de Vimioso, distrito de Bragança, disse à Lusa fonte do CDOS de Bragança.

“Os familiares da vítima deram o alerta às autoridades, na manhã de sábado, para o desaparecimento do senhor, já que tinha sido visto no local do incêndio. Foi montada uma operação de busca e acabamos por encontrar a pessoa morta dentro do perímetro do fogo, desconhecendo-se as circunstâncias e as causas da morte”, explicou à Lusa o comandante Distrital de Bragança de Operações e Socorro, Noel Afonso.

Segundo a fonte, a vítima tinha terrenos agrícolas na área do incêndio e foi encontrado sem vida cerca do meio-dia de hoje.

O incêndio, que deflagrou em Santulhão, chegou a mobilizar 200 operacionais, que foram apoiados por sete meios aéreos e cerca de 65 veículos terrestres.

O incêndio chegou a ter duas frentes activas.

Segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil, às 12:45 permaneciam no local 58 bombeiros apoiados por 20 viaturas.

O artigo foi publicado originalmente em Público.

Comente este artigo
Anterior IFAP: apicultores devem fazer declaração anual de existências até 30 de Setembro
Próximo Assunção Cristas elege agricultura e água como prioridades do CDS

Artigos relacionados

Dossiers

Covid-19: Especialistas em Engenharia Alimentar elaboram guia de boas práticas alimentares

O Grupo de Especialistas em Engenharia Alimentar da Ordem dos Engenheiros elaborou recentemente um “Guia básico de boas práticas […]

Nacional

Mercadona dá início à contratação para as lojas de Portugal

A Mercadona inicia hoje o processo de contratação de Operadores de Supermercado para as lojas de Portugal, localizadas em Vila Nova de Gaia, […]

Nacional

​Incêndios: Costa diz que as causas profundas nunca serão resolvidas pelo combate

As causas profundas dos incêndios “nunca serão resolvidas” a partir dos meios de combate, afirmou esta segunda-feira o primeiro-ministro, António Costa, […]