Herdade das Servas investe na região dos Vinhos Verdes

Herdade das Servas investe na região dos Vinhos Verdes

Carlos e Luís Serrano Mira, detentores da Herdade das Servas, em Estremoz, anunciaram um investimento na região dos Vinhos Verdes, com a aquisição da Casa da Tapada, em Braga.

De acordo com os produtores, a Casa da Tapada possui 24 hectares de área total, 12 dos quais de vinha, dez de mata e dois de casario. “A equipa de enologia pôs mãos à obra e está para breve o lançamento dos primeiros vinhos desta nova geração da Casa da Tapada. Referentes à colheita de 2018, vão envergar as marcas ‘CT’ e a histórica ‘Casa da Tapada’, ambas DOC Vinho Verde. O enoturismo foi desde sempre uma aposta da família Serrano Mira, que em breve fará renascer a loja de vinhos da Casa da Tapada, cuja oferta será complementada com visitas e provas de vinhos”, dizem ainda os produtores.

“Sempre acreditámos no potencial dos Vinhos Verdes, região que dá origem a vinhos com muita frescura, o que potencia a harmonização gastronómica, ponto forte dos vinhos que produzimos. São vinhos cítricos e aromáticos, em que a acidez está bastante presente. É uma região complementar ao Alentejo. Há também o fator ‘memória’: em casa do nosso avô materno sempre houve Vinho Verde; um dos seus grandes amigos era lá produtor”, concluem.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior Lusoflora . Competitividade da Horticultura Ornamental
Próximo Sessão pública sobre Xylella fastidiosa em Gondomar

Artigos relacionados

Últimas

Estão abertas as candidaturas ao Prémio Porco d’Ouro Zoetis Inovação

Inovação em Ambiente, Saúde Animal e Biossegurança das explorações são algumas das áreas passíveis de serem premiadas.
Até ao final do mês de abril estão abertas as candidaturas ao Prémio Porco d’Ouro Zoetis Inovação. […]

Nacional

Vacas para produção de carne são as que mais produzem metano em Portugal

Cerca de 43% do metano emitido em Portugal vem da agropecuária e são as vacas para consumo de carne que mais emitem. […]

Nacional

“A transformação de solos que é necessária não se faz sem investimento”

A secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos, acredita que em apenas um ano o Governo vai aprender o suficiente para corrigir o que for necessário na Serra de Monchique, […]