Grande Investigação: Os novos donos do Alentejo

Grande Investigação: Os novos donos do Alentejo

Seis grandes grupos, dominados por fundos internacionais, controlam a maioria dos olivais do Alqueva. Aí, o preço da terra disparou, os pequenos proprietários quase desapareceram e o olival intensivo mudou definitivamente a paisagem alentejana – com consequências ambientais imprevisíveis.

Cerca de 70% do território agrícola da região de Alqueva mudou de mãos nos últimos dez anos – e o Alentejo passou de celeiro a olival da nação. O antigo terratenente seareiro cedeu lugar a um novo megalatifúndio assente em fundos internacionais, com seis grandes grupos a deter ou a gerir mais de 65% dos olivais da região. São eles os grandes beneficiários do maior investimento público alguma vez realizado na agricultura portuguesa: 2,5 mil milhões de euros. Ao mesmo tempo que escasseia, a terra irrigada por Alqueva está a sofrer uma pressão sem precedentes, com o preço do hectare a crescer seis vezes em 15 anos. Neste período, graças aos novos olivais alentejanos, Portugal passou de importador crónico a quinto maior exportador mundial de azeite. E, segundo a Comissão Europeia, o olival português poderá aumentar 88% até 2030. Mas isso teve consequências sociais e ambientais. Este é o primeiro de três capítulos de uma reportagem realizada ao abrigo de uma bolsa de investigação jornalística da Fundação Calouste Gulbenkian.

O artigo foi publicado originalmente em Sábado .

Comente este artigo
Anterior Eurodeputado do PSD acusa Governo de “mentira descarada” sobre execução de fundos
Próximo “Estaremos seguramente num caminho de transferência crescente de mais-valias para toda a fileira”

Artigos relacionados

Nacional

Afetados dos Incêndios de Outubro avançam para manifestação a 2 de Fevereiro

A Maavim, realizou ontem uma conferência de imprensa em Arganil, onde elencou uma série de situações detetadas no terreno. Após reuniões efetuadas na Presidência da Republica, […]

Notícias meteorologia

Previsão de longo prazo – 20 jan. a 16 fev. 2020

Precipitação total e temperatura média semanal com valores abaixo do normal […]

Sugeridas

Produtores agrícolas que operam em circuitos de vendas curtos vão receber apoios

Os produtores agrícolas que operam em circuitos de venda curtos podem receber até 7488 euros, ao longo de três anos, graças a uma medida de apoio agora lançada pelo Governo no âmbito do apoio de reprogramação do Programa de Desenvolvimento Rural. […]