GP CDS-PP: Quadro Financeiro Plurianual e projetos-piloto de reflorestação do Pinhal Interior

GP CDS-PP: Quadro Financeiro Plurianual e projetos-piloto de reflorestação do Pinhal Interior

A deputada do CDS-PP Patrícia Fonseca questionou o Senhor Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural sobre as opções defendidas pelo Governo na negociação do próximo quadro comunitário, tendo em conta as afirmações do Senhor Ministro de que esta é uma proposta boa para os agricultores, mas má para o Orçamento do Estado.

O CDS entende que a principal preocupação do Governo na negociação do próximo Quadro Financeiro Plurianual não é reforçar as verbas globais para os agricultores portugueses, mas reduzir o esforço do Orçamento do Estado. O CDS critica esta posição do Governo.

A verdade é que o cofinanciamento dos programas de desenvolvimento rural sempre foi de 25%; a redução para 15% no anterior programa (PRODER) foi uma exceção pelo facto de Portugal estar sob assistência financeira. Por este motivo, em 2015 o anterior Governo iniciou a reversão desta tendência, apresentando uma reprogramação do PDR 2020, na qual propunha o aumento do cofinanciamento nacional de 15% para 20%, proposta que foi retirada por este Governo.

Em 2017 o atual Governo anunciou um reforço do PDR2020 de mais 155M€, de acordo com um calendário no qual o grosso das verbas serão aplicadas apenas depois de 2020, pelo que esta verba ainda não chegou aos agricultores.

A deputada do CDS-PP Patrícia Fonseca questionou ainda o Senhor Ministro sobre os projetos-piloto de reflorestação do Pinhal Interior.

Surpreendentemente, quando questionado, e à semelhança do que já acontecera com o Primeiro-ministro, o Ministro afirmou não saber do que se trata, ignorando assim as resoluções que o próprio Governo publica.

Na mesma resposta, o Secretário de Estado, depois de confrontado com o publicado em Diário da República, revelou que o Governo considera que os projetos-piloto de reflorestação se resumem à abertura de três ações do PDR 2020 para investimento florestal naquela região.

Para que fique claro, a RCM 101-A/2017, o Programa de Revitalização do Pinhal Interior divulgado e apresentado em setembro de 2017 pelo Ministro Adjunto, bem como a RCM 1/2018, falam especificamente em projeto-piloto para o desenvolvimento sustentado da floresta e que irá posteriormente servir de base ao ordenamento e gestão a aplicar ao resto do país, pelo que não se entende a posição da tutela.

Comente este artigo
Anterior Plan-a-Farm quer estimular produção e venda de produtos biológicos
Próximo IFAP acusa beneficiários de má-fé e de falta de transparência

Artigos relacionados

Comunicados

A Produção e Consumo Agroalimentar e as Ciências da Sustentabilidade

As tendências globais da sociedade e da economia colocam novos desafios à produção e consumo agroalimentar. O crescimento demográfico e a urbanização acelerada, a globalização das cadeias de valor e as novas realidades económicas […]

Últimas

Olive oil: EU’s support scheme contributes to alleviate pressure on market

The private storage aid scheme for olive oil adopted in November 2019 was concluded today, with the last tendering procedure supported by Member […]

Comunicados

Nota Informativa da Autoridade de Gestão do PDR2020

Considerando que a execução física da operação a apoiar pelo PDR 2020 deve ser iniciada no prazo de 6 meses, contados a partir da data da submissão autenticada do termo de aceitação. […]