Governo Regional faz balanço “extremamente positivo” da Feira Agrícola Açores 2019

O secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje, 14 de Julho, no Faial, no último dia da Feira Agrícola Açores 2019, que o certame permitiu dar a conhecer ao público em geral a grande importância do sector para o desenvolvimento económico da Região, destacando que, após três dia de festa, recomeça segunda-feira a “luta” para continuar a melhorar o desempenho da agricultura regional e ajudá-la a ultrapassar os desafios.

“Esta feira é o resultado do esforço de muitas entidades e não apenas do Governo, mas quando chegamos ao fim e percebemos que as pessoas estão satisfeitas, que os resultados são positivos, só podemos ficar agradados, sobretudo porque o público teve a oportunidade de perceber o quanto o sector agrícola é importante para o desenvolvimento económico da nossa Região”, salientou João Ponte, acrescentando que o balanço global desta feira é “extremamente positivo”.

Milhares de visitantes

“A verdade é que têm passado por este recinto milhares de pessoas, o que demonstra também as condições excelentes que existem para a realização deste tipo de evento na Quinta de São Lourenço”, disse João Ponte, destacando que as condições ainda serão melhores no futuro em virtude das obras que o Governo Regional vai realizar para a reabilitação do Solar e para a modernização do Pavilhão de Exposições da Quinta de São Lourenço.

A Feira Agrícola contou este ano com a representação de sete ilhas e registou cerca de 200 animais de raças de leite e de carne a concurso.

Concursos de carne, queijo, mel, vinho…

Para João Ponte, os resultados obtidos nos vários concursos com animais bovinos demonstram bem o empenho e a dedicação dos agricultores, revelam a aposta na genética e no bem-estar animal, contribuindo, por essa via, para a excelência das produções agrícolas açorianas.

Também os concursos de méis, de queijo, de vinhos, entre outros, têm premiado os melhores produtores e revelado, tanto aos residentes como aos turistas, o que de melhor se produz no arquipélago.

“Apesar do sector leiteiro ter uma expressão muito grande, há outros sectores que já começam a ser muito relevantes, como é o caso da produção de carne de bovino, a horticultura, a fruticultura, a vitivinicultura, entre outras”, destacou João Ponte, considerando que o desenvolvimento de todos estes sectores gera um conjunto de produtos e serviços que contribuem fortemente para a dinamização da economia local, em cada uma das nove ilhas.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar .

Anterior Faça Chuva Faça Sol – T.2 Ep. 5
Próximo Diretora Regional de Agricultura aconselha tratamentos “imediatos” na vinha em Mogadouro

Artigos relacionados

Nacional

AlgaEnergy abre filiais nos Estados Unidos e Índia

A empresa de base biotecnológica deu um impulso aos seus planos de internacionalização com a abertura de novas filiais na América do Norte e na Índia. […]

Eventos

II Dia de campo do grupo operacional Qualitomate – 23 de Julho – Santarém

Realiza-se na manhã de 23 de Julho, em Caneiras, Santarém, o 2.º Dia Aberto do grupo operacional Qualitomate. Além da apresentação do protocolo de trabalho e do ponto de situação relativamente à campanha de 2019, […]

Últimas

Jornadas Agrícolas do Vale do Sousa, 20 de Julho. Confagri debate PAC pós 2020

A Confagri – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Portugal associa-se à 4.ª edição das Jornadas Agrícolas do Vale do Sousa, […]