Governo quer cobrar IMI mais elevado em terrenos sem uso

[Fonte: Expresso]

O Governo estabeleceu um novo método de avaliação de terrenos e cálculo do IMI, que deverá entrar em vigor já no próximo ano. Este irá basear-se na aptidão dos solos e no seu uso efetivo. Na prática, fará com que os proprietários que deixarem ao abandono os seus terrenos rústicos vão pagar Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) mais elevado, avança o “Correio da Manhã” esta sexta-feira.

O princípio geral da futura avaliação será este: terras com uso têm um IMI mais baixo, terras sem uso pagam um IMI mais alto, para incentivar a sua utilização, nota o matutino. A avaliação geral da propriedade rústica irá abranger, segundo dados da Autoridade Tributária, cerca de 11,5 milhões de terrenos de norte a sul de Portugal.

Pelo que o “CM” apurou, o Governo ponderou avançar com a avaliação geral dos terrenos rústicos no Orçamento do Estado para 2019, mas, devido à necessidade de afinar o modelo futuro de avaliação, acabou por deixar a iniciativa para a próxima legislatura.

A intenção do Governo é que o IMI seja utilizado como fator de incentivo ao ordenamento do território e à promoção da agricultura.

Comente este artigo

O artigo Governo quer cobrar IMI mais elevado em terrenos sem uso foi publicado originalmente em Expresso.

Anterior Pedrógão Grande: Dois anos depois ainda está longe o caminho para uma nova floresta
Próximo IQV Agro Portugal tem nova solução para a traça dos cachos e da piral da vinha

Artigos relacionados

Últimas

Tem cortiça para extrair em 2020? Saiba antecipadamente o seu valor

[Fonte: Agricultura e Mar]
É produtor e tem extracção de cortiça esperada para 2020? Se tem pode pedir uma amostra antecipada e conhecer antecipadamente o valor da sua cortiça. […]

Últimas

Mais de 150 meios humanos da Direção Regional dos Recursos Florestais estão no terreno a desobstruir caminhos

[Fonte: Açoriano Oriental]

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, através da Direção Regional dos Recursos Florestais, […]

Últimas

I CLBHort: Material propagativo de espécies hortícolas – avanços e desafios futuros – 2 de Novembro 2017 – Lisboa

Os materiais propagativos são cruciais para a obtenção de produtos de qualidade que possam ser competitivos num mercado global. Nesta mesa redonda do I Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura, […]