Governo diz que está a ser estudado pedido de calamidade para o Vale da Vilariça por causa do granizo

Governo diz que está a ser estudado pedido de calamidade para o Vale da Vilariça por causa do granizo

A ministra da Agricultura disse hoje que está a ser estudado e avaliado o pedido de declaração do estado de calamidade feito pelos produtores após a queda de granizo no Vale da Vilariça, em Trás-os-Montes.

“Neste momento, nós temos esse pedido a ser estudado, vamos avaliar para ver se efetivamente tem condições para isso mesmo”, afirmou Maria do Céu Albuquerque, que falava aos jornalistas em Vila Real, após uma visita à Associação de Criadores do Maronês.

No fim de semana, a queda de granizo provocou prejuízos em várias culturas agrícolas, como o pêssego, cereja, vinha ou hortícolas, no Vale da Vilariça, em Trás-os-Montes.

Fernando Brás, presidente da Associação de Regantes do Vale da Vilariça, disse à agência Lusa que a cultura de pêssego é a mais significativa no vale e a mais afetada, com cerca de 120 hectares de pomares próximos da perda total da produção e um prejuízo que pode ascender a “1,5 milhões de euros”.

O dirigente disse esperar que o Governo olhe para estes produtores e encontre medidas para os apoiar, nomeadamente ponderando a declaração de estado de calamidade para esta zona específica.

Hoje, Maria do Céu Albuquerque disse que o pedido de calamidade está a ser estudado pelo Ministério da Agricultura.

“Aquilo que está disponível, também com o apoio do Governo e dos instrumentos que temos à nossa disposição, são os seguros e, portanto, é a partir disso mesmo que os agricultores vão ter que recorrer”, afirmou quando questionada sobre apoios aos produtores.

A Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) enviou na terça-feira técnicos ao terreno para fazerem um levantamento dos danos causados por trovoadas acompanhadas de granizo, durante o fim de semana.

Continue a ler este artigo no SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Arrancou hoje o projeto S4Agro com 1 milhão de euros para promover a Sustentabilidade ambiental, a Salvaguarda de recursos, a Segurança de processos e a Sustentabilidade económica das empresas do setor agroindustrial
Próximo COVID-19: Ministra da Agricultura visita setor das carnes e destaca comércio de proximidade

Artigos relacionados

Nacional

Duas colónias de flamingos estão a nidificar pela primeira vez em Portugal – ICNF

Duas colónias de flamingos estão a nidificar pela primeira vez em Portugal em duas áreas protegidas, depois de uma primeira tentativa mal sucedida, em 2010, anunciou o Instituto […]

Últimas

Alentejo recebe mais ajudas diretas aos agricultores que todo o resto do país

Em ajudas diretas do 1.º pilar na Política Agrícola Comum (PAC), o Alentejo tem recebido uma média anual de 355 milhões de euros. É mais do que todo o resto do território continental […]

Dossiers

2ª Parte | Fito-Entrevista a Nuno Russo

A sanidade vegetal e a sua importância na defesa do ambiente e desenvolvimento económico bem como as medidas de apoio a jovens […]