Governo aprova orçamento de 420 milhões para FCT até 2024

Governo aprova orçamento de 420 milhões para FCT até 2024

O Governo deu ‘luz verde’ esta sexta-feira ao financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) para os próximos anos, aprovando um orçamento global de 420 milhões de euros, para o período de 2020-2024. No primeiro ano, a FCT poderá gastar 63 milhões de euros, verba que nos anos seguintes sobe para 89,25 milhões. O montante indicativo de financiamento existente até agora era de 400 milhões para o período de 2019-2022.

O executivo, reunido em Conselho de Ministros, autorizou “a FCT a realizar a despesa inerente ao financiamento das unidades de Investigação e Desenvolvimento (I&D) no âmbito do Programa Plurianual de Financiamento de Unidades de I&D, até ao montante máximo global de 420 milhões de euros”, refere a resolução publicada em Diário da República.

Além da aprovação do orçamento global, o Governo autorizou igualmente o “financiamento de 400 bolsas de doutoramento” extra por parte da FCT, num esforço financeiro que fica de fora do bolo global de 420 milhões de euros e que servirá para complementar os concursos anuais para investigadores doutorados a abrir pela FCT, apoiar o emprego científico e o desenvolvimento de carreiras científicas e a contratação através de projetos de I&D.

Na autorização aprovada pelo Governo fica também previsto que este programa de financiamento plurianual da FCT “seja objeto de candidatura ao Portugal 2030, de modo a assegurar o seu financiamento por fundos europeus”.

O Governo aprovou ainda através da mesma resolução a atribuição de 6,2 milhões de euros para o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde para o corrente ano, “no âmbito do financiamento plurianual das unidades I&D 2015-2020”.

Avaliação por concluir

Apesar de todas as autorizações agora publicadas, certo é que a avaliação das diferentes unidades de I&D apoiadas pela FCT ainda não foi concluída, apesar de ter sido lançada em novembro de 2017, admite a mesma resolução do Conselho de Ministros, que aponta que esta avaliação está “em fase de conclusão a avaliação externa então iniciada”.

É dos resultados desta avaliação que sairá uma decisão relativamente à alocação de verbas por unidade de investigação. As últimas avaliações foram realizadas em 1996, 2000, 2007 e 2013.

O apoio às unidades de investigação e desenvolvimento visa o estímulo ao desenvolvimento, especialização e diversificação destas instituições e de laboratórios ou centros de interface tecnológicos, procurando promover a criação de emprego qualificado e um maior cruzamento entre a academia e o setor privado.

A distribuição anual do orçamento aprovado para a FCT:

  • 2020: €63 000 000,00
  • 2021: €89 250 000,00
  • 2022: €89 250 000,00
  • 2023: €89 250 000,00
  • 2024: €89 250 000,00
  • Total: €420 000 000,00

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior Governo dos Açores vai apoiar agricultores com prejuízos provocados pela forte intempérie que atingiu a ilha Terceira
Próximo POCIF investe 1,1 milhões de euros para combate a incêndios

Artigos relacionados

Últimas

El mercado de cítricos se mantiene activo y con bastante demanda


El mercado de cítricos se mantiene activo y con bastante demanda, según apuntan fuentes de la Lonja de Córdoba. […]

Nacional

Primeira participação da InovCluster na Marocco FoodExpo

A InovCluster – Associação do Cluster Agro-Industrial do Centro, marcou presença entre os dias 8 e 10 de dezembro na 2ª Edição do Marocco Food Expo, […]

Últimas

Gestores dos fundos europeus vão aceder à base de dados do Fisco para acelerar candidaturas de empresas

As empresas têm multiplicado as queixas de atrasos nos fundos comunitários. Seja na análise das candidaturas, sobretudo quando há grandes picos de afluência nos concursos lançados, […]