Governo dos Açores vai apoiar agricultores com prejuízos provocados pela forte intempérie que atingiu a ilha Terceira

Governo dos Açores vai apoiar agricultores com prejuízos provocados pela forte intempérie que atingiu a ilha Terceira

A Secretário
Regional da Agricultura e Florestas garantiu que o Governo dos Açores vai
apoiar os agricultores da Terceira com culturas afetadas na sequência da forte
intempérie que ocorreu domingo nesta ilha.

“Logo no dia
a seguir à intempérie, os serviços operacionais da Secretaria Regional da
Agricultura e Florestas foram para o terreno fazer uma primeira avaliação.
Percebemos que existiam prejuízos avultados em zonas muito pontuais e
concentrados em freguesias como Quatro Ribeiras, Doze Ribeiras, Altares, Santa
Barbara, entre outras”, afirmou João Ponte, em declarações à margem da visita a
algumas explorações agrícolas afetadas pela chuva forte.

O governante
referiu que, nesta fase, ainda não é possível fazer uma estimativa real dos
prejuízos totais, mas deixou o compromisso de que o Governo dos Açores vai
apoiar os agricultores prejudicados.

João Ponte
salientou que há dois tipos de situações identificadas, uma que diz respeito a
culturas que estavam numa fase muito inicial e que terão de voltar a ser
semeadas e outra relativa as culturas com mais alguma idade e que só com o
tempo será possível perceber se conseguem recuperar ou não.

“Importa
agora é que os agricultores afetados se desloquem o mais rapidamente possível
aos Serviços de Desenvolvimento Agrário para que os técnicos possam depois ir
verificar o tipo de dano sofrido e para que, aqueles que tiverem de voltar a
semear, possam aproveitar o bom tempo presente”, frisou João Ponte.

O Secretário
Regional da Agricultura e Florestas alertou ainda os agricultores para a
importância de fazerem seguros de colheitas, que cobrem o tipo de intempere
registada na Terceira, pois no futuro a tendência será para acabarem os apoios
públicos para estas situações.

“É verdade
que estamos numa fase inicial da implementação do seguro de colheitas e
que   existem muitos agricultores que
ainda não estão devidamente informados, mas é importante terem atenção a esta
matéria dos seguros de colheitas, porque da parte do Governo Regional não será
possível continuar a disponibilizar apoio público quando já existe um
instrumento que cobre os agricultores dos prejuízos nas colheitas e que já é
apoiado pelo Governo e pela União Europeia”, afirmou.

Desde maio
que estão disponíveis nos Açores os seguros de colheita, sendo que ao produtor
cabe apenas pagar 30% do custo do prémio do seguro.

Fonte: GaCS/RM

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Alentejo. Agricultores reclamam medidas de combate à seca
Próximo Governo aprova orçamento de 420 milhões para FCT até 2024

Artigos relacionados

Últimas

Abertas as inscrições papara “Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas”

Já se encontram abertas as inscrições para jovens voluntários/as no âmbito do programa «Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas», cujas […]

Últimas

Resta menos de 10% da água na barragem Monte da Rocha, em Ourique

[Fonte: Tribuna Alentejo] A Barragem do Monte da Rocha em Ourique está a levantar uma grande preocupação entre autarcas e sobretudo agricultores já que esta é de utilização predominantemente agrícola, […]

Utilização sustentável

Iniciado o programa experimental de luta biológica contra a Trioza erytreae

O Ministério da Agricultura, através da Autoridade Fitossanitária Nacional, iniciou o programa experimental […]