Governo apoia produtores de ovelha típica da região da Serra da Estrela

O Governo esclareceu esta segunda-feira que apoia os produtores de ovelhas típicas da serra da Estrela e que a Associação Nacional de Criadores tem em curso um projeto para melhoramento genético e proteção da raça.

“Os produtores de ovelhas recebem uma ajuda de 34 euros por animal para apoiar a produção e o melhoramento da raça: 19 euros por animal no âmbito do I Pilar da PAC (ajuda direta) e, precisamente por se tratar de uma raça autóctone, a ovelha bordaleira recebe mais 15 euros no âmbito do II Pilar da PAC (desenvolvimento rural)”, adianta uma nota do gabinete do ministro da Agricultura.

O deputado socialista Santinho Pacheco anunciou hoje que questionou o Governo sobre a disponibilidade para apoiar um programa de defesa e salvaguarda da ovelha bordaleira da serra da Estrela, para estimular o aumento da produção de leite. Numa pergunta dirigida ao Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, o deputado eleito pelo círculo eleitoral da Guarda questionou se está disponível para, em conjunto com a ANCOSE – Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela, “estudar um programa de defesa e salvaguarda da ovelha bordaleira da serra da Estrela?”.

O deputado perguntou ainda ao ministro Capoulas Santos se o Governo, liderado pelo socialista António Costa, poderá apoiar a instalação de centros de recria de borregas, para estas serem disponibilizadas para melhoramento animal, “como forma de garantir o leite indispensável ao fabrico do queijo Serra da Estrela”.

Na nota, a tutela esclarece ainda que a ANCOSE “tem em curso um projeto apoiado pelo Ministério da Agricultura para melhoramento genético e proteção da raça”.

“Trata-se de um projeto ao qual foram atribuídos 1.672.188.00 euros a fundo perdido. Estando o projeto no seu último ano de execução, a ANCOSE executou apenas uma parte do montante disponível, tendo 1.010.020.00 a aguardar comprovativos de despesa no IFAP – Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas”, lê-se no comunicado enviado à Lusa.

O deputado Santinho Pacheco questionou o Governo sobre o assunto alegando que, “para que a serra da Estrela continue a ter pastores que produzam o genuíno queijo da serra é preciso, desde logo, que se defenda a raça bordaleira”. “Quer os criadores dessa ovelha, quer os pastores em geral começam a ficar alarmados com o número cada vez menor de cabeças, tanto mais que, em consequência dos incêndios de 2017, o efetivo diminuiu em alguns milhares”, descreve.

Na pergunta que dirigiu a Capoulas Santos, o socialista considerou ainda que “é preciso tomar medidas com urgência” para defender a ovelha tradicional da serra da Estrela.

Comente este artigo
Anterior APREN celebra o Dia Nacional da Água na FCT NOVA
Próximo Estudo revela que os incêndios afetam a qualidade da água

Artigos relacionados

Dossiers

Curso – Modo de Produção Biológico – 3ª e 4ªEdição – 2019

A Agrobio vai realizar duas edições do curso “Modo de Produção Biológico”, a decorrer entre os dias 27 de Maio a 15 de Junho, em Laboral e Pós-Laboral. […]

Notícias florestas

“O País está pior”. A política de gestão florestal é “desastre” que prejudica proprietários

Clemente Vicente Nunes fez uma alusão ao incêndio na Sertã em que “há fortíssimas suspeitas” de origem criminosa.
A política de gestão da floresta, […]

Últimas

Integração dos migrantes em Odemira passa pela condenação da “rede mafiosa” – especialista

A mestre em migração Inês Cabral defendeu hoje que a integração dos migrantes em Odemira tem de passar pela condenação da “rede mafiosa” que explora os trabalhadores em situação […]