Governance em empresas agrícolas de base familiar

Governance em empresas agrícolas de base familiar

Ontem, dia 12 de fevereiro, a AGROGES promoveu uma reunião restrita a cerca de 60 clientes e amigos (representantes de 42 casas agrícolas nacionais), centrada na discussão sobre “GOVERNANCE EM EMPRESAS AGRÍCOLAS FAMILIARES: OS DESAFIOS DE HOJE”, um tema da maior relevância para o tecido empresarial agrícola português.

No contexto de uma economia cada vez mais globalizada, em que grandes grupos empresariais internacionais e, muitas vezes, fundos de investimento investem na agricultura portuguesa, coloca-se um desafio de resiliência às empresas agrícolas familiares: como podem estas empresas, de forma sustentável, servir os propósitos da família em vertentes tão diversas como o património, a governance, a estratégia familiar, a sucessão e, transversalmente, contribuir para rentabilidade dos ativos e a criação de valor para os acionistas.

Para nos ajudar nesta discussão, a AGROGES convidou Manuel Bermejo (Professor da IE Business School de Madrid e representante da empresa The Family Advisory Board), cuja intervenção de excelência proporcionou uma troca de impressões e de pontos de vista muito produtivos.

Esta foi a primeira de diversas iniciativas que a AGROGES pretende promover, como forma de apoiar as empresas agrícolas de base familiar a enfrentar os desafios e governance com que estão permanentemente confrontadas.

Comente este artigo
Anterior Livro sobre O Sector Agrícola no Concelho de S. Brás de Alportel. Descarregue grátis
Próximo Da carne de vaca ao chocolate, estes são os alimentos com maior pegada ecológica

Artigos relacionados

Sugeridas

Apresentação do estudo “rumo estratégico para o setor dos vinhos do porto e douro”

Apresentação Pública | Sexta-feira, 14 de setembro, às 15h, no Museu do Douro, Régua
 O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, […]

Nacional

ESAC cria soluções sustentáveis para resíduos agropecuários

A Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC) está a identificar “vulnerabilidades das explorações” para desenvolver “soluções sustentáveis […]