GNR forma guardas florestais para investigação de causas de incêndios

GNR forma guardas florestais para investigação de causas de incêndios

Dois terços dos fogos florestais que deflagram em Portugal têm mão humana, seja intencional ou negligente.

Continue a ler este artigo no Correio da Manhã.

Comente este artigo
Anterior A inseminação artificial em coelhos
Próximo Newsletter on Agriculture & Innovation | Edição 88 | dezembro 2020

Artigos relacionados

Últimas

João Ferreira faz rescaldo dos fogos do verão passado

“Bolas, que susto!”, diz a senhora, que veio espreitar à porta da sua loja para ver o bombo passar. Deparou-se com a comitiva da CDU e com João Ferreira cara-a-cara e confessou – […]

Notícias florestas

Incêndios de 2017 originaram maior densidade de eucaliptos alguma vez registada

Investigadores de Coimbra registaram em terrenos afetados pelos grandes incêndios de outubro de 2017 a maior densidade de eucaliptos alguma vez identificada fora da Austrália. […]

Últimas

CDS pede “medidas excecionais” de apoio aos agricultores afetados pela seca

“Medidas excecionais” de apoio a toda a atividade pecuária, agrícola e florestal afetada pelo período de seca que o país atravessa. […]