“Fogo de Vila de Rei tem “frente de 25 quilómetros”

Dominados os fogos da Sertã, onde o dia ainda vai ser de muito trabalho, as atenções viram-se para o fogo de Vila de Rei, que tem uma grande frente no concelho de Mação, com a linha de fogo a atingir os “25 quilómetros”. Este passou a ser considerado um grande incêndio florestal, que atinge os distritos de Castelo Branco e Santarém.

A intensidade das chamas foi reconhecida pelo comandante Belo Costa com a Proteção Civil a reforçar esta frente com “6 aviões e dois helicópteros”, adiantou o responsável. Em terra 4 máquinas do exército abrem aceiros, mas “o declive e a existência de muitas aldeias” na linha de fogo dificultam o trabalho dos bombeiros. Contudo o comandante da Proteção Civil, que tem o comando nacional no local, relevou a importância de “proteger aldeias e habitações”.

Apesar do reforço de meios a situação ainda é muito complicada. Operacionais no terreno destacam que “as frentes de Vila de Rei ainda estão a lavrar com intensidade”, repetindo o cenário de 2003. “Só não é tão complicado devido à menor severidade da meteorologia”, destacam os combatentes.

Ainda assim a noite foi de contenção no concelho da Sertã, onde em Chão da Telha, junto à Estrada Nacional 2, decorrem operações de extinção. Da Fundada, em Vila de Rei, o fogo passou para Mação, “anda à solta em Robalo, progredindo 17 km do local onde teve início”, destacam os bombeiros. Em Vale da Cova há “maquinas de rasto a abrir caminhos e concentração de reforços”, para “atacar a cabeça do incêndio com a ajuda dos meios aéreos”.

O laboratório de fogos da Universidade de Trás-os-Montes aponta para uma “situação complicada com perigo meteorológico extremo e instabilidade atmosférica com tendência para aumentar”.

A meteorologia é a grande inimiga dos bombeiros, apesar de o Instituto do Mar e da Atmosfera antever uma diminuição da intensidade de vento. O perigo de reacendimentos “nas frentes já consolidadas é real” e para a zona foi destacado um helicóptero de coordenação e vigilância.

No local dos fogos estão perto de 1500 bombeiros e um posto de comando centralizado, que funciona na Escola Secundária da Sertã.

Os 3 incêndios, dois na Sertã e um em Vila de Rei, tiveram início às 14h50 de sábado, facto que levou as autoridades a colocarem no terreno inspetores da PJ. O incendio provocou ainda 9 feridos, um deles m civil queimado com gravidade e que foi evacuado para os hospitais de Lisboa.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior Estabilidad en el mercado del aceite de oliva
Próximo Los precios de los lechones siguen en caída libre

Artigos relacionados

Nacional

É na agricultura que mais nascem novas empresas

O setor da Agricultura e Pescas é aquele que tem registado o maior crescimento no número de empresas no país. De acordo com um estudo recentemente divulgado pelo Banco de Portugal, […]

Últimas

Valorfito recolhe 95 toneladas no 1ºtrimestre 2020

O Valorfito, designação pelo qual é conhecido o Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura, permanece activo e ao lado do […]

Últimas

“Eduardo Cabrita foi um verdadeiro incendário”, diz Marques Mendes

[Fonte: O Jornal Económico]

Marques Mendes considera que o ministro da Administração Interna teve uma atuação “desastrosa” […]