Floresta nas Linhas 20.30 apoia arborização e rearborização de de 125 hectares em Torres Vedras

O “Floresta nas Linhas 20.30” é o programa da Câmara Municipal de Torres Vedras que vai apoiar os munícipes na beneficiação, arborização e rearborização de 125 hectares do concelho.

O programa, aprovado esta terça-feira, 27 de Agosto, em Reunião de Câmara, contempla a plantação de cerca de 67 mil árvores e arbustos de espécies autóctones ao longo dos próximos cinco anos, apresentando um custo anual máximo de 20.000 euros.

Pinheiro manso, sobreiro, azinheira, oliveira

Além de providenciar apoio técnico para elaboração do plano de gestão e licenciamento das arborizações e rearborizações, o apoio contempla o fornecimento de árvores e arbustos.

Em causa estão espécies como pinheiro manso, sobreiro, carvalho-cerquinho, freixo, alfarrobeira, azinheira, zimbro, medronheiro e oliveira, que se alinham com o Plano Regional de Ordenamento Florestal de Lisboa e Vale do Tejo, assim como com o potencial socioeconómico da região.

100 hectares de novos povoamentos

Explica fonte institucional da autarquia de Torres Vedras que, ao longo dos próximos cinco anos, o “Floresta nas Linhas 20.30” espera apoiar a instalação de 100 hectares de novos povoamentos e a beneficiação de 25 hectares de povoamentos de espécies autóctones existentes.

De forma a incentivar a manutenção aquando da instalação de povoamentos, o programa irá premiar os participantes que mantenham as suas plantações em bom estado.

Mediante candidatura sujeita a aprovação, poderá ser atribuído um apoio ao longo dos primeiros anos de plantação que se divide entre 100 euros por hectare, nos primeiros três anos, e 75 euros por hectare, nos dois anos que se seguem.

No que toca à beneficiação de povoamentos de espécies autóctones existentes, o apoio a atribuir será de 200 euros por hectare, nos primeiros três anos, e 150 euros por hectare, nos dois anos que se seguem.

Área de demonstração

O programa irá contar, ainda, com uma área de demonstração de 11 hectares que se encontram em cinco zonas diferentes, distribuídos pelas freguesias de Ponte de Rol e Santa Maria, São Pedro e Matacães. Em causa estão terrenos municipais sob gestão da Câmara Municipal que têm povoamentos de eucalipto que serão, desta forma, reconvertidos em áreas de floresta autóctone.

O objectivo do “Floresta nas Linhas 20.30” passa por estimular a reconversão de povoamentos florestais mal-adaptados e a arborização de terrenos incultos com espécies autóctones.

Pretende ainda a autarquia apoiar a beneficiação de povoamentos de regeneração natural, contribuindo para o aumento da biodiversidade, a resiliência e a mitigação das alterações climáticas, com destaque para o aumento da capacidade de armazenamento de carbono no território.

Sublinhe-se que os espaços florestais (florestas e matos) representam cerca de 41% da área total do concelho de Torres Vedras.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Governo dos Açores “valoriza parceria estratégica” com Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos
Próximo Açores congratula-se com decisão da UE de antecipar pagamentos do POSEI e Prorural

Artigos relacionados

Ofertas

Oferta de emprego – Técnico de Apanha – Engenheiro Zootécnico – Figueira da Foz

Se gostas de aves, do campo e de gerir pessoas este trabalho é para ti! Vem ajudar-nos a liderar e a coordenar equipas de apanha de aves bem como a […]

Sugeridas

China bane importação de ovelhas portuguesas, mas Portugal não exporta pequenos ruminantes para a China

O Ministério da Agricultura, através da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), vem por este meio esclarecer que Portugal não exporta […]

Sugeridas

Marcelo defende aumento de salário mínimo perante preocupações de dirigentes agrícolas

“Sou defensor da concertação social e por aí penso que se deve ir ao encontro de um desejável acordo global de rendimentos”, […]