FENAZEITES realizou debate com olivicultores sobre futuro do sector

FENAZEITES realizou debate com olivicultores sobre futuro do sector

[Fonte: Gazeta Rural]

A FENAZEITES – Federação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Olivicultores realizou, na passada sexta-feira, um encontro com as Cooperativas Olivícolas em Trás-os-Montes para discutir o futuro do setor perante a ameaça da Xylella fastidiosa e as alterações no regime contributivo dos trabalhadores independentes.

A Federação, associada da CONFAGRI, organizou esta sessão com produtores para prevenir a propagação da bactéria Xylella fastidiosa, que ameaça a agricultura e foi detetada no mês de janeiro, em Portugal.

O único caso registado foi em plantas ornamentais em Vila Nova de Gaia, mas esta bactéria ataca uma variedade grande de culturas, incluindo de grande valor económico como a oliveira, amendoeira ou videira.

A ação junto dos produtores de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, teve por base «uma preocupação muito grande em manter informados os produtores sobre a prevenção e evolução do problema», como disse o presidente da FENAZEITES, Aníbal Martins.

O responsável defendeu que «tem de haver um trabalho de divulgação entre o Ministério da Agricultura e o setor, para que possa haver mais controlo por parte dos produtores e possamos estar descansados em termos de futuro» e notou que ainda há uma parte muito significativa de produtores que não estão informados sobre esta bactéria que, quando infeta, obriga à destruição total das plantas.

O azeite de Trás-os-Montes é um produto de origem portuguesa com Denominação de Origem Protegida (DOP) pela União Europeia desde 1996.

Representando 11 por cento da produção nacional, o azeite desta região «tem um peso económico bastante significativo» na economia regional e soma «inúmeros prémios conquistados, sobretudo no mercado internacional».

O setor teme consequências idênticas às que já ocorreram noutros países europeus, como a Itália. Desde a década de 1980 que a bactéria está identificada e tem provocado quebras avultadas nas videiras dos Estados Unidos da América, nos pomares de laranja da Baía do Brasil e nos olivais de Itália.

Chegou à Europa em 2013 e, desde então, já foi detetada também em França, Holanda, Alemanha, Espanha e, no início de janeiro, em Portugal, em plantas de lavanda num jardim de um “zoo” de Vila Nova de Gaia.

O encontro contou com o apoio da Cooperativa Agrícola de Macedo de Cavaleiros e com a presença de vários profissionais relevantes para o setor, os quais contribuíram para um debate onde foram identificados alguns dos problemas mais urgentes do setor olivícola e também com o objetivo de fazer um levantamento de propostas a apresentar ao Governo.

Fonte: Agrotec

Comente este artigo

O artigo FENAZEITES realizou debate com olivicultores sobre futuro do sector foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior AEP e 21 empresas nacionais na maior feira alimentar do Médio Oriente
Próximo Alterações climáticas põem vinhos da Península Ibérica em perigo

Artigos relacionados

Sugeridas

GMOinfo.eu disponibiliza informação factual sobre OGMs na sua própria língua

Informação baseada em factos científicos sobre Organismos Geneticamente Modificados (OGM) e Agrobiotecnologia na Europa pode ser difícil de encontrar, especialmente noutras línguas para além do Inglês. […]

Últimas

Experts ‘overwhelmingly’ endorse CRISPR-edited crop safety, but politics could stifle technology’s progress

It should come as no surprise that innovation is linked to uncertainty, […]

Últimas

Greve. CAP quer pelo menos um posto de gasóleo agrícola em cada concelho

[Fonte: Agricultura e Mar]
A greve dos motoristas de matérias perigosas, onde se inclui o combustível, […]