Federação Agrícola dos Açores repudia declarações do Ministro do Ambiente

Federação Agrícola dos Açores repudia declarações do Ministro do Ambiente

As declarações do Ministro do Ambiente proferidas no âmbito da apresentação do Roteiro para a Neutralidade Carbónica para 2050, foram para a Federação Agrícola dos Açores uma surpresa, uma vez que a sua intervenção revela um desconhecimento injustificável da realidade da Agricultura Portuguesa e em particular, da Agricultura dos Açores.

É inadmissível que na apresentação dum projeto com estas características seja apontada a hipótese de redução da produção nacional de bovinos entre 20% e 50%, atendendo a que esta, é fundamentalmente em regime extensivo, principalmente, nos Açores, onde a pastagem é a base da alimentação dos animais.

Por outro lado, o bem-estar animal e as preocupações ambientais estão devidamente integradas na Política Agrícola Comum que é aplicada pelo Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural, e são integralmente cumpridas pelos agricultores, pelo que não se compreende a forma simplista e leviana com que são feitas estas declarações, que põem inclusive em causa, a sobrevivência da fileira do leite e da carne no país, com a consequente diminuição das suas produções, compensadas por importações doutros países, onde a condição humana é muitas vezes posta em causa, para além das consequências ambientais, que são muitos superiores á do espaço europeu e em que a verdadeira pegada ecológica é um grande problema.

Face ao difundido, a Federação Agrícola dos Açores entende que no caso regional, onde a agropecuária é a principal atividade da economia, e por isso, a produção de bovinos tem uma importância decisiva em todas as ilhas, as afirmações do Ministro do Ambiente têm de ser devidamente repudiadas e aguarda que o Governo dos Açores defenda os Agricultores Açorianos duma forma vigorosa e sem qualquer tipo de reservas mentais, porque acima de tudo, a sua função é defender os interesses dos Açorianos.

Santana, 5 de dezembro de 2018

A Direção

Comente este artigo
Anterior "Orçamento do Estado para 2019 não serve os agricultores e a agricultura portuguesa"
Próximo Workshop - Laboratório de Inovação Aberta "Estratégia e Mercado" - 10 de dezembro - Moura

Artigos relacionados

Sugeridas

Syngenta lança Carial Top – novo fungicida para proteção das culturas do tomate e da batata

A Syngenta apresentou a 19 de Fevereiro, no CNEMA, em Santarém, o Carial Top, um fungicida de nova geração específico para o controlo do míldio e da alternariose, […]

Comunicados

Alteração da ZPE do Tejo Internacional, Erges e Ponsul – Proprietários rurais e gestores contra alargamento de ZPE em mais de 350% quando Governo corta 17 M€ nas medidas de apoio à Rede Natura 2000

Os proprietários rurais são responsáveis por atividades agro-florestais essenciais, em muitos casos, para a conservação da natureza e gestão da biodiversidade (CN &B). […]

Sugeridas

ADP Fertilizantes patrocina AgroGlobal 2018

Informação à imprensa – 3 de Setembro de 2018
A ADP Fertilizantes, empresa de referência no setor dos fertilizantes e no panorama agronómico nacional, […]