Federação Agrícola dos Açores repudia declarações do Ministro do Ambiente

Federação Agrícola dos Açores repudia declarações do Ministro do Ambiente

As declarações do Ministro do Ambiente proferidas no âmbito da apresentação do Roteiro para a Neutralidade Carbónica para 2050, foram para a Federação Agrícola dos Açores uma surpresa, uma vez que a sua intervenção revela um desconhecimento injustificável da realidade da Agricultura Portuguesa e em particular, da Agricultura dos Açores.

É inadmissível que na apresentação dum projeto com estas características seja apontada a hipótese de redução da produção nacional de bovinos entre 20% e 50%, atendendo a que esta, é fundamentalmente em regime extensivo, principalmente, nos Açores, onde a pastagem é a base da alimentação dos animais.

Por outro lado, o bem-estar animal e as preocupações ambientais estão devidamente integradas na Política Agrícola Comum que é aplicada pelo Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural, e são integralmente cumpridas pelos agricultores, pelo que não se compreende a forma simplista e leviana com que são feitas estas declarações, que põem inclusive em causa, a sobrevivência da fileira do leite e da carne no país, com a consequente diminuição das suas produções, compensadas por importações doutros países, onde a condição humana é muitas vezes posta em causa, para além das consequências ambientais, que são muitos superiores á do espaço europeu e em que a verdadeira pegada ecológica é um grande problema.

Face ao difundido, a Federação Agrícola dos Açores entende que no caso regional, onde a agropecuária é a principal atividade da economia, e por isso, a produção de bovinos tem uma importância decisiva em todas as ilhas, as afirmações do Ministro do Ambiente têm de ser devidamente repudiadas e aguarda que o Governo dos Açores defenda os Agricultores Açorianos duma forma vigorosa e sem qualquer tipo de reservas mentais, porque acima de tudo, a sua função é defender os interesses dos Açorianos.

Santana, 5 de dezembro de 2018

A Direção

Comente este artigo
Anterior "Orçamento do Estado para 2019 não serve os agricultores e a agricultura portuguesa"
Próximo Workshop - Laboratório de Inovação Aberta "Estratégia e Mercado" - 10 de dezembro - Moura

Artigos relacionados

Dossiers

O sector agrícola no OE 2019: apreciação global no debate na especialidade

Análise ao sector agrícola no OE 2019, de apreciação global no debate na especialidade, que poderá ser complementada com a visualização das intervenções da Deputada Patrícia Fonseca
Este OE é uma oportunidade perdida para o sector agrícola – parece que reforça as verbas mas afinal não é bem assim…
OE2019: CDS quer saber quando estará em funcionamento a empresa de gestão florestal
Alterações climáticas: Portugal tem necessidades de água para além do regadio
OE2019: CDS quer alterações ao regime contributivo para agricultores e incentivos ao trabalho de jovens
→Consulte aqui a Análise sobre OE2019←

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Comunicados

Press release – CETA: Trade Committee MEPs back EU-Canada agreement – Committee on International Trade

The EU-Canada Comprehensive Economic and Trade Agreement (CETA), which aims to boost goods and services trade and investment flows, was approved by the International Trade Committee on Tuesday. The full House is to vote on the deal in February.
“By approving CETA today we take a significant step forward. […]

Comunicados

Trade agreements boost EU agri-food sector

Trade agreements have helped to boost EU agricultural exports and have supported jobs in the agri-food sector and other sectors of the economy, according to a new independent study carried out on behalf of the European Commission. Trade agreements with three countries – Mexico, South Korea and Switzerland – […]