FAO implementa 18 projetos em Angola no valor de 31 milhões de euros

FAO implementa 18 projetos em Angola no valor de 31 milhões de euros

A representante da FAO em Angola anunciou hoje que está a implementar no país 18 projetos, orçados em 36 milhões de dólares (31 milhões de euros), incluido a área de segurança alimentar e nutricional.

Gherda Barreto, que falava hoje em conferência de imprensa por ocasião do Dia Mundial da Alimentação, que se assinala nesta sexta-feira, disse que o montante está a ser implementado em três áreas estratégicas, no quadro do programa de cooperação com o Governo angolano.

A segurança alimentar e nutricional, que absorve 8 milhões de dólares (7 milhões de euros), a agricultura familiar e o agronegócio com 15 milhões de dólares (13 milhões de euros) e a resiliência, emergência e recursos naturais, com 13 milhões de dólares (11 milhões de euros), compreendem as três áreas estratégicas.

Segundo a representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla inglesa), a FAO está também a acompanhar a implementação em Angola de cinco mil escolas de campo.

As escolas de campo visam a transferência de conhecimentos de pequenas tecnologias para as comunidades rurais com intuito de aumentar a produção e produtividade e a criação de cooperativas.

A FAO Angola perspetiva que as escolas de campo tenham um impacto sobre 150 mil agricultores familiares, dos quais projetamos 75 mil mulheres.

Os projetos estão a ser implementados em oito províncias do país: Bié, Huambo, Malanje, Cunene, Huíla, Namibe, Lunda Norte e Cuanza Sul.

Gherda Barreto deu conta igualmente que 80% dos fundos de que dispõem são possíveis graças à cooperação internacional e outros parceiros do Governo angolano como o FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola), GEF (Fundo Global para o Ambiente), Banco Mundial, a União Europeia, o BAD (Banco Africano de Desenvolvimento) e outros.

A responsável congratulou-se ainda com o lançamento das primeiras feiras de escoamento dos produtos do campo promovida pelo Governo angolano com o apoio da FAO.

Outra medida de grande relevância, acrescentou, “é a dinamização e formação das cooperativas de mulheres para incrementar o seu acesso a serviços financeiros em apoio à iniciativas de agro negócio”.

Comente este artigo
Anterior Incêndios: Mais de 9.000 militares envolvidos este ano em ações de prevenção
Próximo Exportações de vinhos portugueses cresceram 8,3% em agosto

Artigos relacionados

Últimas

Escola Agrária de Santarém festejou 133 anos

A Escola Agrária de Santarém, antiga Escola Prática Elementar de Agricultura e Frutuária de Santarém fundada em 1888, completou 133 anos na quinta-feira, 11 de Novembro […]

Nacional

5G pode intensificar agricultura de precisão

A única forma de conseguir aumentar a nossa sustentabilidade tanto ambiental como financeira ou social é através da tecnologia desde a robotização, digitalização até o Big Data […]

Últimas

Direção de Agricultura do Algarve cede terrenos para hortas sociais em Faro

A Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve cedeu terrenos ao município de Faro para o desenvolvimento e implementação de um projeto de hortas sociais direcionado a […]