Executivo cria plano para transformação e transição digital

Executivo cria plano para transformação e transição digital

No Programa do XIII Governo dos Açores, que foi hoje entregue na Assembleia Legislativa, o executivo aponta a “inclusão e capacitação das pessoas, a educação e formação à distância, a transformação e digitalização dos setores primários, comércio e serviços, e a digitalização de todos os serviços públicos e o setor público empresarial regional” como “pilares fundamentais e vetores estruturais” do plano.

“A opção por uma transição digital reduz os custos de contexto, torna a administração pública e os serviços mais rápidos e menos burocráticos, e reduz custos para os cidadãos e para as empresas”, concretiza o Programa do Governo do PSD, CDS-PP e PPM.

A área da Transição Digital é tutelada por Susete Amaro, numa secretaria regional que junta também as áreas da Cultura e da Ciência.

Através do #AzoresE-Government, o executivo “garantirá a digitalização de todos os serviços públicos utilizados por cidadãos e empresas nos Açores”.

“Neste âmbito, o recurso ao teletrabalho é uma opção de prestação laboral por parte dos trabalhadores em funções públicas da administração pública regional, num formato misto, parcial ou integral”, explica-se no documento.

No ensino, será aplicado o #AzoresSmartSchool para a “infoinclusão e total digitalização do sistema de ensino regional”.

A medida divide-se no “programa de digitalização do ensino, em todas as escolas”, que abrange “os mecanismos de apoio à aquisição de equipamentos […], definição de conteúdos programáticos e pedagógicos, e potenciação da inclusão de produção regional” no programa de formação para a inclusão digital, que pretende aumentar “os índices de literacia digital”.

Já a digitalização da saúde é garantida pelo #AzoresSmartHealth, que trará “uma alteração substancial da relação entre a doença, o doente e o serviço regional de saúde, na qualidade e rapidez da informação que o utente envia aos serviços de saúde e na qualidade e rapidez com que os serviços tratam e acompanham os utentes”, considera o executivo.

Com esta ferramenta, assume-se uma aposta na ‘telessaúde’, que permite prestar teleconsultas “com efetiva implementação e utilização corrente de meios técnicos de diagnóstico remoto, sistemas informáticos, comunicações, ‘softwares’, e soluções aplicacionais dedicadas e que incorporem já ferramentas avançadas de análise e processamento de dados recorrendo à biometria e inteligência artificial de forma permanente”, lê-se no documento.

O alargamento deste princípio a várias áreas da saúde permitirá “a diminuição dos tempos de espera e melhoria da prestação dos cuidados de saúde”, promete o Governo Regional.

Nem a agricultura fica de fora deste processo, já que o #AzoresSmartAgriculture “consiste na inserção de tecnologias digitais em todas as fases da cadeia de valor, tendo em vista a promoção de vantagens competitivas e benefícios socioambientais”.

A ideia é contribuir “para uma agricultura moderna que utilize em seu favor os dados gerados pela biotecnologia, monitorização das alterações climáticas, geotecnologias, ciências agrárias e a nanotecnologia”.

“O Governo assegurará a generalização do acesso, da capacitação e do empreendedorismo digital” através do #AzoresE-Social, que com um “cartão social” apoia as pessoas na aquisição de pacotes de equipamentos ou serviços de internet, estando também previsto o apoio à transformação digital de pequenas e médias empresas (PME).

No #AzoresE-Social cabe também um programa que tem como ponto central a Universidade dos Açores, mas envolve várias outras entidades, para gerar “um ecossistema natural e com uma estratégia de longa duração em termos de desenvolvimento sustentado e sustentável de base tecnológica digital”.

Será ainda desenvolvido o #AzoresSmartSpot, que “fará dos Açores um arquipélago criativo e inteligente”, com a incorporação de tecnologias que conseguirão otimizar os recursos disponíveis, partilhando informação e recorrendo a processos de decisão e gestão inteligente.

O Programa do Governo será discutido e votado na próxima semana.

O artigo foi publicado originalmente em Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Açores/Governo: Executivo vai criar planos de desenvolvimento rural para cada ilha
Próximo A “bimby” das vacas

Artigos relacionados

Dossiers

Programa Simplex+ 2019 cria “Balcão Único da Vinha”

A Comissão de Modernização Administrativa anunciou que o Programa Simplex+ 2019 irá contemplar a criação de uma medida para o sector agrícola, […]

Sugeridas

Plano de Recuperação e Resiliência prevê 93 milhões para a Agenda de Inovação 20|30

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) apresentado pelo Governo a Bruxelas prevê uma dotação de 93 milhões de euros para a “Agenda de Inovação para a Agricultura 20|30”. […]

Últimas

Portugal em 15.ª no desenvolvimento sustentável na UE

Portugal surge em 15.º lugar entre os 28 países da União Europeia no Índice dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, obtendo uma pontuação de 66,2 em 100, […]