Eurodeputado do PSD acusa Governo de “mentira descarada” sobre execução de fundos

Eurodeputado do PSD acusa Governo de “mentira descarada” sobre execução de fundos

“As declarações são absolutamente falsas. É uma mentira descarada, inaceitável. Com este Governo, nunca estivemos na liderança da execução de fundos”, referiu José Manuel Fernandes, do PSD.

O eurodeputado do PSD José Manuel Fernandes acusou esta quinta-feira o ministro do Planeamento, Nelson de Souza, de dizer uma “mentira descarada” ao declarar que Portugal tem o melhor nível de execução de fundos europeus.

As declarações são absolutamente falsas. É uma mentira descarada, inaceitável. Com este Governo, nunca estivemos na liderança da execução de fundos, ao contrário do que sucedia com o anterior executivo de PSD/CDS-PP. A Comissão Europeia divulgou os dados há dois dias”, disse o social-democrata à Lusa.

Ainda segundo José Manuel Fernandes, “Portugal tem uma taxa de execução de 47% e não de 45% como disse o ministro, mas há mais seis países com valores superiores”.

“Não é um, dois ou três. São seis: Finlândia (66%), Irlanda (61%), Luxemburgo (57%), Áustria (56%), Estónia 49% e Chipre 48%”, afirmou, citando uma tabela divulgada pelo executivo comunitário com os valores referentes ao período entre 2014 e 31 de dezembro de 2019.

O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, assegurou na quarta-feira que Portugal é o líder europeu em termos de execução de fundos, com o programa Portugal 2020 a atingir 45% de execução no final do ano passado.

“Não sei se é muito ou se é pouco, mas é a taxa de execução mais alta da Europa”, disse o governante numa audição parlamentar conjunta com as comissões de Orçamento e Finanças e de Economia, Inovação, Obras Públicas e habitação.

No total, a comissão transferiu 136.663 milhões de euros para os 28 Estados-membros e, deste valor, 7,1% foi transferido para Portugal.

Com uma dotação global de cerca de 26 mil milhões de euros, o programa Portugal 2020 consiste num acordo de parceria entre Portugal e a Comissão Europeia, “no qual se estabelecem os princípios e as prioridades de programação para a política de desenvolvimento económico, social e territorial de Portugal, entre 2014 e 2020”.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior ADIADA - 13ª edição do Congresso Internacional da Pera - 23 a 25 de junho - Roterdão
Próximo Grande Investigação: Os novos donos do Alentejo

Artigos relacionados

Notícias mercados

Exportações de frutas, legumes e flores mostram dinamismo no primeiro trimestre e crescem 10%

Estatísticas do INE já refletem impacto da pandemia de COVID19 nas exportações de flores e plantas ornamentais realizadas nas últimas […]

Nacional

Agrofood Portuguese Cluster: uma novidade e uma incógnita -Editorial Teresa Silveira + Suplemento Agrovida

Revelamos hoje, aqui, em primeira mão que o pólo de competitividade Portugal Foods, os clusters InovCluster e AgroCluster e a associação Portugal Fresh avançaram com um projeto comum junto do IAPMEI para a constituição de um novo projeto de reorganização associativa das empresas do setor agroindustrial português. […]

Últimas

Produção de pêra Rocha com redução de 30% a 40%

A colheita de pêra Rocha em 2020 deverá registar uma redução de entre 30% a 40% em volume face à campanha anterior, […]